Meteorologia

  • 20 ABRIL 2019
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 15º

Edição

Presidente da Argélia renuncia, diz agência oficial

Abdelaziz Bouteflika notificou conselho sobre sua decisão

Presidente da Argélia renuncia, diz agência oficial
Notícias ao Minuto Brasil

16:56 - 02/04/19 por ANSA

Mundo Abdelaziz Bouteflika

O presidente da Argélia, Abdelaziz Bouteflika, notificou oficialmente o Conselho Constitucional nesta terça-feira (2) sobre sua decisão de renunciar ao cargo.

A informação é da agência oficial Algérie Presse Service (APS), confirmando o fim do regime de 20 anos liderado por Bouteflika, 82, após diversas semanas de protestos populares contra o mandatário.

O presidente se tornara alvo de manifestações após o anúncio de sua candidatura a um quinto mandato nas próximas eleições, embora esteja doente há muito tempo. Pressionado pelas ruas, Bouteflika abdicou de disputar o pleito.

Os protestos, no entanto, continuaram, e o mandatário passou a ser cobrado também pela cúpula militar. "Não podemos perder tempo", diz uma nota divulgada nesta terça pelo chefe do Estado Maior das Forças Armadas, general Ahmed Gaid Salah, que defendia a destituição imediata de Bouteflika.

+ Theresa May vai pedir uma nova extensão do prazo do Brexit

A renúncia pode ser uma tentativa do grupo conhecido como "Le Pouvoir" (O Poder) de conter as manifestações e garantir a manutenção do regime, que já não depende mais de Bouteflika. O "Poder" engloba militares, políticos e empresários que dão sustentação ao governo e é liderado por Said Bouteflika, irmão do presidente.

No poder desde abril de 1999 e um dos líderes da Revolução Argelina, o mandatário não faz um discurso público há cerca de sete anos e sofreu dois derrames nesse período. Seu real estado de saúde é cercado de mistério, e Bouteflika venceu as últimas eleições, em 2014, sem fazer campanha.

A oposição alega que o presidente está incapacitado de governar e que o comando do país está nas mãos de um estreito círculo de aliados. A economia argelina é baseada na exportação de petróleo e gás e foi duramente atingida pela queda dos preços no mercado internacional, o que levou a cortes em programas sociais que ajudavam a conter a insatisfação popular. (ANSA)

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório