Meteorologia

  • 22 MAIO 2019
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 15º

Edição

Turquia justifica compra de mísseis russos por motivos de "urgência"

O governo da Turquia justificou hoje a compra de mísseis à Rússia pela "urgência" em adquirir um sistema de defesa antiaérea e diz estar preparado para dissipar receios junto dos parceiros da NATO.

Turquia justifica compra de mísseis russos por motivos de "urgência"
Notícias ao Minuto Brasil

12:30 - 03/05/19 por Notícias Ao Minuto

Mundo Declarações

O governo da Turquia justificou hoje a compra de mísseis à Rússia pela "urgência" em adquirir um sistema de defesa antiaéreo. O ministro das Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Çavusoglu, disse em Budapeste que o seu país optou o sistema de defesa norte-americano, mas não conseguiu finalizar o negócio, tendo escolhido a opção russa, por ser mais barata e de entrega mais rápida.

A decisão do governo turco, anunciada há dois anos, provocou reação negativa junto dos parceiros diplomáticos, por receios sobre a introdução de tecnologia militar russa no seio de um país da NATO.

Os EUA, que tinha se envolvido diretamente nas negociações de um equipamento semelhantes de origem norte-americana, criticaram a decisão turca e levaram o tema a cimeiras da NATO, em 2018, procurando reverter a opção.

Por várias vezes, Washington pediu à Turquia para devolver os mísseis russos e suspendeu a entrega de caças F-35, em retaliação pela decisão do governo de Ankara.

Agora, a Turquia confirmou a compra junto do mercado russo e a justificou com a urgência do equipamento e com o preço de compra.

"Vários dos países que cercam a Turquia são um grande perigo e na defesa aérea era urgente tomar decisões rápidas", explicou Çavusoglu, numa coletiva de Imprensa ao lado do seu homólogo húngaro, Peter Szijjártó.

"Se houver receios, formaremos um grupo de trabalho que preparará um relatório sobre este tema, para ser analisado", disse o ministro turco, referindo-se às preocupações dos parceiros da NATO.

Çavusoglu reconheceu que as relações com os EUA não atravessam uma fase fácil, mas assegurou que este tema não é o único que dificulta um entendimento entre os dois países.

"Não devemos suspender as relações por causa deste assunto", disse o chefe da diplomacia turca, que acrescentou que a questão será tratada na cimeira EUA/Turquia que se realizará em julho.

O ministro turco disse ainda que o seu governo receberá o secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, durante a sua visita à Turquia, na próxima semana.

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório