Meteorologia

  • 17 JUNHO 2021
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Lula fala sobre a extrema-direita com ex-governantes europeus

Ele se encontrou hoje com o ex-presidente francês Nikolas Sarkozy e com o ex-primeiro-ministro italiano Enrico Letta.

Lula fala sobre a extrema-direita com ex-governantes europeus
Notícias ao Minuto Brasil

21:30 - 04/03/20 por Notícias ao Minuto Brasil

Política Lula

O ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva se encontrou hoje com o ex-presidente francês Nikolas Sarkozy e com o ex-primeiro-ministro italiano Enrico Letta, com quem discutiu a "ascensão do fascismo" e o "avanço da extrema-direita".

"Com o ex-presidente francês Nikolas Sarkozy, refletimos sobre o avanço da extrema-direita. Ele relatou observar com preocupação a escalada autoritária do Governo de Bolsonaro, e disse que o Moro escancarou a sua parcialidade ao aceitar fazer parte desse Governo", escreveu Lula na rede social Twitter, partilhando ainda fotografias do momento em que se reuniu com o antigo governante francês.

O histórico líder do Partido dos Trabalhadores (PT) também se encontrou com o ex primeiro-ministro italiano Enrico Letta, com quem abordou temas como a ascensão do fascismo e a crise dos refugiados no continente europeu.

"Com Enrico Letta, ex-primeiro-ministro da Itália. Dividimos muitas preocupações em comum, em especial a ascensão do fascismo que aflige não só o Brasil. Conversamos muito sobre a crise dos refugiados na Europa, tema especialmente sensível e que requer a nossa atenção", afirmou Lula.

Lula está em viagem pela Europa que, segundo o próprio, servirá para discutir a questão da desigualdade social com líderes políticos, sindicais e religiosos.

Na segunda-feira, Lula recebeu o título de cidadão honorário da capital francesa, mostrando-se comprometido a lutar contra o atual Governo no Brasil.

"Estou muito motivado e podem acreditar numa coisa. Eu tenho 74 anos de idade, mas tenho energia de 30 [...]. Estou mais motivado que nunca a reconquistar a democracia no nosso país e o direito do nosso povo ser feliz", afirmou no seu discurso na Câmara Municipal de Paris, perante centenas de pessoas.

O ex-presidente foi recebido nos salões nobres da Câmara Municipal de Paris, tendo a seu lado Dilma Roussef, e Fernando Haddad, e recebeu das mãos da autarca parisiense, Anne Hidalgo, o título de cidadão honorário da capital.

Esta distinção tinha sido conferida a Lula em outubro do ano passado, quando o ex-líder brasileiro ainda estava preso por corrupção e branqueamento de capitais.

Já na terça-feira, ainda na capital de França, Lula foi o convidado principal do Festival "Lula Livre em Paris".

Nos próximos dias, Lula segue para Genebra, na Suíça, onde se irá reunir na sexta-feira com representantes do Conselho Mundial de Igrejas (CMI), organismo que reúne mais de 340 igrejas em mais de 120 países, onde abordará a questão da desigualdade social e se reunirá com representantes de sindicatos internacionais.

A viagem de Lula pela Europa terminará em Berlim, capital da Alemanha, onde se encontrará com líderes políticos e representantes do movimento sindical alemão.

Campo obrigatório