Meteorologia

  • 28 NOVEMBRO 2021
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

CPI: Bolsonarista defende posições negacionistas e Renan aponta crimes

Otávio Fakhoury defendeu práticas consideradas negacionistas no enfrentamento da pandemia

CPI: Bolsonarista defende posições negacionistas e Renan aponta crimes
Notícias ao Minuto Brasil

13:52 - 30/09/21 por Folhapress

Política Investigação

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Em depoimento à CPI da Covid, o empresário bolsonarista Otávio Fakhoury defendeu práticas consideradas negacionistas no enfrentamento da pandemia, criticando vacinas, o uso de máscaras e exaltando medicamentos sem eficácia comprovada para o tratamento da Covid-19. Fakhoury, no entanto, afirmou que se tratava de sua opinião.

O empresário afirmou que ainda não se vacinou para evitar contrair o novo coronavírus. Ao contrário de depoentes negacionistas anteriores -como Luciano Hang, que alegou ter alta imunidade- Fakhoury defendeu sua posição contra as vacinas e afirmou que elas não deveriam ser obrigatórias.

"As vacinas têm que ser adquiridas e oferecidas pelo governo, porém ainda hoje se encontram em estágio experimental. A minha posição é que elas não devem ser obrigatórias. Aguardo o término dos testes para decidir se imunizo minha família ou não", afirmou.

A respeito do uso de máscaras, citou estudos que apontam que elas só seriam benéficas para portadores da Covid-19 e que pouca eficácia teriam para o restante da população - posição divergente da maioria dos estudos científicos com credibilidade.

E defendeu também medicamentos sem eficácia comprovada, como a hidroxicloroquina e ivermectina. Disse que sua família e amigos receberam o tratamento precoce e ninguém chegou a ser internado.

A todo momento, no entanto, dizia que era apenas sua opinião e que se tratava de liberdade de expressão.

O vice-presidente Randolfe Rodrigues (Rede-AP) afirmou que "quando a liberdade de opinião atinge a saúde pública, não é mais opinião. É crime".

O relator Renan Calheiros (MDB-AL) afirmou que o depoente estava se auto-incriminando, por desrespeitar o artigo 268 do código penal, que versa sobre infrações de medidas sanitárias para evitar a propagação de doença contagiosa.

Campo obrigatório