Meteorologia

  • 20 JANEIRO 2022
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Lula chama delegado da PF de "querido" 29 vezes durante depoimento

Lula tornou-se alvo da 24ª fase da Operação Lava-jato no dia 4 de março

Lula chama delegado da PF de "querido" 29 vezes durante depoimento
Notícias ao Minuto Brasil

09:23 - 15/03/16 por Notícias Ao Minuto

Política Hilário

Durante o depoimento de Lula à Polícia Federal no dia 4 de março quando foi levado de casa após uma ordem de condução coercitiva, o ex-presidente usou o termo "querido" 29 vezes para se referir ao delegado da PF. Acompanhe os trechos separados pela Rádio CBN.

Declarante:­ Aí não sei,

querido.

Declarante:­ Eu não sei,

querido, não tenho a menor noção.

Declarante:­ Não sei,

querido.

Declarante:­ Não sei,

querido.

Declarante:­ Ah, eu não sei,

querido, precisar a data.

Declarante:­ Eu não sei,

querido.

Declarante:­ Não fui. Então,

querido, é por isso que eu fui fazer

palestras, porque foi a forma mais decente e a mais digna, recebi proposta para ser

conselheiro do Banco de Desenvolvimento da China não aceitei, recebi convite para

ser conselheiro de empresas multinacionais que trabalham no Brasil não aceitei,

porque eu não quero ser consultor e não sou conferencista, eu sou um contador de

caso, de uma história de governança bem resolvida.

Declarante:­ Não, não tenho, não tenho noção,

querido, não tenho

noção.

Declarante:­ Não, a viagem deles é paga, eles vão de avião de carreira

antes, e a viagem deles é paga pelo esquema da presidência, no meu tempo era bem

pouquinho, devia ser uns cem reais, ou seja,querido, eu vou lhe contar uma coisa, eu

quando vejo denúncia de corrupção, eu vejo e acho que tem muita, eu devo lhe contar

uma história, deputado Paulo, a primeira viagem que eu fiz para a ONU, 23 de

setembro de 2003, os companheiros que levam a bagagem, alguns companheiros de

segurança levaram, eu vou até, porque está filmando aqui, eu vou falar que tive

utilidade um dia na vida, levaram frango com farinha, chegaram no hotel, aqui no

hotel que todo mundo acha que é chic, o Waldorf Astoria, não tem?

Declarante:­ Eu falei a palavra “convênio”, mas, que veja, se eu for

fazer uma palestra no Rio Grande do Norte, a mim interessa que esteja presente a

Federação dos Empresários do Rio Grande do Norte, a Federação dos Bancos do Rio

Grande do Norte, a Federação... pra mim interessa levar o grosso dos empresários

locais. Então normalmente as empresas contatam com as empresas locais e fazem

parceria. Às vezes é na sede da Federação do Estado, às vezes é na sede da Federação

de um país, às vezes é num centro empresarial em Berlim, às vezes é num centro

empresarial, sabe... na Índia. E eu vou lá pra falar do Brasil. Não vou lá pra falar de

empresa,

querido. Eu lá pra falar do Brasil, eu vou lá pra falar de como é possível

governar um país pensando no povo, essa é a coisa que mais me dá orgulho e a coisa

que mais eu faço na vida.

Declarante:­ Não sei o que é,

querido.

Declarante:­ Deve ter prestado algum serviço,

querido.

Declarante:­ Ah,

querido, é a vida particular dele, é particular.

Declarante:­ Não,

querido. Não sei.

Declarante:­ Eu não sei, não sei,

querido.

Declarante:­ Ah, eu não tenho noção,

querido. Eu vejo valor em 10, em11, em 12...

Declarante:­ Não sei, não sei,

querido.

Declarante:­ Não sei,

querido. A única coisa que eu posso te dizer éque, ou ficou lá, ou ficou noutro lugar.

Declarante:­ Não sei,

querido.

Declarante:­ Não uso cartão,

querido.

Declarante:­ Eu não sei,

querido...

Declarante:­ Não sei,

querido.

Declarante:­ Não sei,

querido.

Declarante:­ Não sei,

querido.

Declarante:­ Eu não sei a data que consta,

querido.

Declarante:­ Eu não sei,

querido, não sei. Esse Pedro Correia era um

cidadão que usava... Ele tinha um ditado que dizia o seguinte “Quem usa terno

branco, sapato branco e RayBan não fica bem na oposição.” Esse cidadão era

pernambucano, eu tive o prazer de ver ele uma vez, numa reunião de líderes, dentro

do palácio do planalto, para discutir as medidas provisórias de interesse do governo.

Declarante:­ Não. Deixa... Eu acho que é importante esclarecer o

seguinte,

querido, a Petrobras é uma empresa que tem muita autonomia. Eu até

brincava que na outra encarnação o presidente da Petrobras vai ser eleito

democraticamente pelo povo e ele indica o Presidente da República, porque a

Petrobras Tinha mais dinheiro do que o governo pra fazer investimento, porque a

Petrobras tinha muito mais coisa pra fazer. Eu lembro que quando o Fernando

Henrique Cardoso era Presidente ele dizia: “A Petrobras é uma caixa preta, que a

gente nunca sabe o que acontece lá dentro.” Aquilo é uma corporação muito

poderosa. Então as conversas que a gente tinha, a companheira Dilma, Ministra da

Energia, com o Gabrielli, e antes com o Jose Eduardo Dutra que era o presidente da

Petrobras. E muitas coisas que a gente decidiu eles fingiram que iam fazer e não faziam,

porque eu chegava lá e predominava o interesse da corporação. Petroleiro é que nem

nego da Polícia Federal, bicho, não dá moleza não, não faz o que a gente quer. Faz o

que quer.

Declarante:­ Do mesmo jeito,

querido. Do mesmo jeito.

Declarante:­ Acho que nenhum,

querido. Nenhum, nenhum, é uma

pena, que o José Dirceu era um grande dirigente político. Acho que poucas pessoas

têm a cabeça privilegiada do ponto de vista político que tem o José Dirceu.

Campo obrigatório