Meteorologia

  • 25 OUTUBRO 2020
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Doleira da Lava Jato acerta delação premiada e é solta

A delação, que foi negociada durante meses, ainda não foi homologada pelo juiz Sergio Moro

Doleira da Lava Jato acerta delação premiada e é solta
Notícias ao Minuto Brasil

16:46 - 20/06/16 por Folhapress

Política Delação Premiada

Primeira detida na Operação Lava Jato e umas das personagens mais icônicas da investigação, a doleira Nelma Kodama deixou a prisão nesta segunda-feira (20) após firmar um acordo de delação premiada.

Autointitulada "a última grande dama do mercado", Kodama, 49, que já teve um relacionamento com o doleiro Alberto Youssef, ganhou notoriedade após cantar "Amada Amante" durante uma sessão da CPI da Petrobras, no ano passado, e salvar um carcereiro de um ataque cardíaco na Polícia Federal.

A delação, que foi negociada durante meses, ainda não foi homologada pelo juiz Sergio Moro. Em declarações anteriores, a doleira prometeu detalhar como mudanças na regulamentação bancária abriram caminho para a abertura de contas ocultas no exterior, facilitando a lavagem de dinheiro.

Kodama estava presa havia dois anos e três meses, desde março de 2014 -quando foi pega no aeroporto de Guarulhos (SP) com 200 mil euros na calcinha, ao tentar sair do país.

Ela instalou uma tornozeleira eletrônica e irá permanecer em prisão domiciliar.

A doleira já foi condenada a 18 anos por corrupção, evasão de divisas e lavagem de dinheiro, mas irá cumprir uma pena diferenciada por causa do acordo.

O advogado de Kodama, Juan Marciano Viera, não quis se manifestar sobre os detalhes da negociação.

"Ela está bem tranquila, consciente da situação em que está e da punição que já teve. Foi uma experiência que certamente trouxe muito aprendizado para ela", disse à reportagem.

Quando estava presa, Kodama ainda prometia escrever um livro sobre suas experiências. O advogado diz que "material para isso ela tem". "Só falta ver se ela vai levar o plano adiante."

Campo obrigatório