Meteorologia

  • 19 OUTUBRO 2021
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

'Me julguem com isenção', chora Cunha em plenário

'Golpe foi dado pela presidente', afirma o ex-presidente da Câmara

'Me julguem com isenção', chora
Cunha em plenário
Notícias ao Minuto Brasil

22:55 - 12/09/16 por Notícias Ao Minuto

Política Depoimento

Nesta segunda-feira (12), após a fala do relator do processo, deputado Marcos Rogério (DEM-RO), que pediu a cassação do deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB), o próprio peemedebista apresenta sua defesa no plenário.

Cunha afirma que o Petrolão é um esquema criminoso formado pelo Partido dos Trabalhadores (PT), o que gera protestos por parte dos parlamentares. Afirma que as acusações contra ele não são nada comparadas ao Petrolão.

O ex-presidente da Câmara diz que denúncia contra o presidente do Senado está há mais de 3 anos esperando para ser apreciada, e que no caso dele demorou menos de 60 dias. "Isso demonstra o tratamento dado ao meu caso", declara.

Cunha afirma que o governo não tinha maioria parlamentar, o que fez que sofresse seguidas derrotas na Câmara e nega pautas bomba: "nunca houve pauta bomba nesta Casa, bomba era o governo", disse o parlamentar.

"Durante meu mandato, 53 pedidos de impeachment chegaram na minha gestão. Eu recusei 40, aceitei um e 12 não deliberei".

O peemedebista afirma que para o impedimento, os procedimentos necessários e corretos foram feitos, e no caso dele não. Ao falar de sua mulher, Claudia Cruz, ele afirma que ela não é deputada: "não tem ninguém aqui que pode ser processado por quebra de decoro da família", diz o deputado.

"Esse criminoso governo foi embora, e graças à atividade que foi feita por mim ao aceitar o processo de impeachment", diz criticando o governo do PT e a ex-presidente Dilma Rousseff, gerando mais vaias no plenário.

"Estou pagando o preço para o Brasil ficar livre. O preço de ter conduzido um processo que ninguém mais faria naquele momento. Chantagens foram feitas sobre mim, e eu recusei", disse.

"Me julguem com isenção, não me julguem pelo 'ouvi dizer', julguem pelo que sou acusado", pediu e negou novamente que tenha mentido na CPI ou que tenha contas no exterior, por não existir provas. "Eu não desejo isso aos meus adversários". "Que Deus possa iluminar vocês", conclui.

Campo obrigatório