Meteorologia

  • 18 NOVEMBRO 2017
Tempo
10º
MIN 10º MÁX 10º

Edição

Delação de Joesley tem benefícios 'inusitados', diz advogado de Temer

Antonio Claudio Mariz de Oliveira insinuou que gravação pode ter sido preparada previamente

Delação de Joesley tem benefícios
'inusitados', diz advogado de Temer
Notícias ao Minuto Brasil

21:03 - 19/05/17 por Notícias Ao Minuto

Política defesa

A advogado Antonio Claudio Mariz de Oliveira, que defende o presidente Michel Temer na área criminal, acredita que a gravação de um diálogo entre o empresário Joesley Batista, dono da JBS, e o peemedebista "parece coisa preparada". As declarações foram feitas à colunista Monica Bergamo, do jornal Folha de S. Paulo.

"Ele lançou uma infâmia sobre o presidente e foi embora do país", disse Mariz. O empresário obteve permissão da Justiça para viajar a Nova York.

De acordo com o jornal, o advogado se reuniu com Temer na noite de quinta (18) e nesta sexta (19). Mariz alega que Batista parece ter ido ao Palácio do Jaburu gravar a conversa "para provocar [o presidente] e fazer uma delação premiada".

"Quem está examinando essa delação com cuidado chega à conclusão de que os benefícios [que Joesley obteve com a delação] são inusitados e inusuais. Dificilmente um delator porta passaporte. Eles não apenas mantiveram o documento como estão mudando o domicílio fiscal [para os EUA]. Causaram prejuízos institucionais e morais ao Brasil mas tiveram ganhos, comprando dólar na baixa e comprando ações da própria empresa por preços mais baixos", afirma Mariz.

A JBS comprou dólar na véspera da divulgação dos áudios da delação premiada da companhia. No dia seguinte, o preço da moeda explodiu no Brasil. A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) investiga a operação.

O advogado afirma que entrará com uma petição no Supremo Tribunal Federal (STF) pedindo cópias do inquérito que foi aberto para investigar o presidente pelos crimes de obstrução a Justiça, corrupção e organização criminosa.

Mariz também questiona o fato de ex-procurador da Lava Jato atuar no escritório de advocacia Trench Rossi e Watanabe, que negocia acordo de leniência da JBS.

LEIA TAMBÉM: Temer disse que poderia ajudar Cunha com ministros do STF, diz Joesley

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório