Meteorologia

  • 23 OUTUBRO 2017
Tempo
MIN 7º MÁX 7º

Edição

Gisele cobra e Temer veta MPs que beneficiavam desmatadores

Presidente usou o Twitter para fazer a declaração, nesta segunda-feira (19), após a top reivindicar uma posição dele

Gisele cobra e Temer veta MPs que
beneficiavam desmatadores
Notícias ao Minuto Brasil

14:42 - 19/06/17 por Notícias Ao Minuto

Política Amazônia

O presidente Michel Temer vetou integralmente as Medidas Provisórias (MPs) 756/2016 e 758/2016, que tratam da alteração de limites da Floresta Nacional de Jamanxim e do Parque Nacional de Jamanxim, no oeste do Pará.

A afirmação foi feita pelo presidente, via Twitter, em resposta à modelo Gisele Bündchen e à ONG WWF, que cobravam uma posição de Temer, nesta segunda-feira, data limite para a sanção ou veto das MPs pelo peemedebista.

"É nosso trabalho proteger nossa Mãe Terra. Michel Temer, diga não para reduzir a proteção na Amazônia!", postou a top, em seu perfil na rede social.

"Gisele, vetei hoje integralmente todos os itens das MPs que diminuíam a área preservada da Amazônia", respondeu o presidente, também por meio de sua conta no Twitter.

As medidas foram aprovadas no mês passado, pelo Congresso Nacional.

Segundo o diretor executivo do WWF-Brasil, Maurício Voivodic, sancionar essas MPs abriria um precedente muito perigoso para que outras áreas protegidas na Amazônia venham a ser reduzidas.

“Mais do que o efeito no local de se reduzir essas áreas, isso é uma mensagem muito ruim que o governo passa para a sociedade de que a atividade ilegal de grilagem, de madeireiros ilegais que está realmente acontecendo em uma dessa áreas, vai ser premiada com a redução dessa área protegida. Ou seja, se você grilar um área protegida, o governo depois reduz essa proteção e dá a área que você grilou”, disse ele. A informação é da Agência Brasil.

Segundo Voivodic, as áreas protegidas deveriam aumentar, já que o Brasil tem compromissos internacionais, firmado em convenções do clima e da biodiversidade.

“Nos últimos dois anos, a taxa de desmatamento na Amazônia aumentou 60%. Mas dentre esses compromissos o principal é reduzir o desmatamento, reduzir as emissões. Só que com esse sinal vai realmente na direção oposta do que o Brasil vinha se propondo e do que o brasileiro quer, que é uma Amazônia protegida”, afirmou.

Leia também: Fachin aceita pedido da defesa de Lula

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório