Meteorologia

  • 20 NOVEMBRO 2017
Tempo
10º
MIN 10º MÁX 10º

Edição

Deputado Albertassi recebia R$ 60 mil de propina por mês, aponta MPF

Albertassi foi conduzido coercitivamente nessa terça-feira (14) para prestar depoimento à Polícia Federal no âmbito da Operação Cadeia Velha, desdobramento da Lava Jato no Rio

Deputado Albertassi recebia R$ 60 mil de propina por mês, aponta MPF
Notícias ao Minuto Brasil

09:04 - 15/11/17 por Notícias Ao Minuto

Política pmdb

O Ministério Público Federal (MPF) apontou que o líder do governo de Luiz Fernando Pezão (PMDB) na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro), o deputado Edson Albertassi (PMDB), recebia R$ 60 mil por mês para favorecer empresas de ônibus nas votações de projetos envolvendo transporte coletivo na Casa. A Procuradoria pediu o bloqueio de R$ 7,68 milhões de Edson Albertassi.

Segundo destaca o UOL, Albertassi foi um dos três parlamentares conduzidos coercitivamente nessa terça-feira (14) para prestar depoimento à Polícia Federal no âmbito da Operação Cadeia Velha, desdobramento da Lava Jato no Rio.

+  Patrimônio do deputado Jorge Picciani aumentou 6.368% em 20 anos

As investigações apontam que, entre 2012 e 2014, o dinheiro era entregue em espécie diretamente a Albertassi por emissários da Fetranspor (Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro) logo após o dia 10 de cada mês na Alerj, em restaurantes próximos à assembleia. Eventualmente, o deputado recebia o dinheiro em sua casa. 

A partir do final de 2014, Albertassi passou a receber a propina através de um contrato de publicidade superfaturado com uma das rádios do deputado, localizada em Volta Redonda (RJ).

Ainda segundo a investigação, o peemedebista era remunerado para dificultar, na Alerj, a tramitação de projetos que trariam prejuízos para o setor de transporte. 

Albertassi foi indicado por Pezão para o TCE (Tribunal de Contas do Estado), segundo o MPF, ele era responsável por controlar 68 cargos na Alerj, com salários que vão de R$ 983 a R$ 30.471. O deputado também participa de 25 comissões e ocupa simultaneamente as presidências da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), do Conselho de Ética, das CPIs da Petrobras e da Crise Hídrica, além de controlar a TV Alerj.

Em nota, Albertassi afirmou que as acusações contra ele serão contestadas por sua defesa, que ainda não teve acesso ao inquérito. 

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório