Meteorologia

  • 21 JANEIRO 2018
Tempo
10º
MIN 10º MÁX 10º

Edição

Petistas se opõem a candidato de Lula ao governo de São Paulo

Enquanto o ex-presidente aposta em Luiz Marinho, opositores querem Elói Pietá no Palácio dos Bandeirantes

Petistas se opõem a candidato de Lula ao governo de São Paulo
Notícias ao Minuto Brasil

21:26 - 22/12/17 por Folhapress

Política discórdia

Apesar dos esforços do presidente estadual do PT, Luiz Marinho, para conter o movimento, uma ala à esquerda do partido decidiu lançar na noite desta quinta-feira (21) a pré-candidatura do ex-prefeito de Guarulhos Elói Pietá ao governo de São Paulo.

A articulação contraria o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva que manifestou publicamente preferência pela, já lançada, candidatura de Marinho ao Palácio dos Bandeirantes.

Antes da reunião, Marinho foi à Assembleia Legislativa de São Paulo -onde o lançamento ocorreria logo depois- na tentativa de deter o movimento. Para que a candidatura de Pietá seja inscrita, o grupo, que reúne as tendências Articulação de Esquerda e DS (Democracia Socialista), precisa coletar 5.000 assinaturas até o dia 12 de janeiro. A inscrição poderá levar à convocação de prévias partidárias.

+ Juiz de Brasília nega pedido de prisão domiciliar para Paulo Maluf

Ao fim de uma reunião na Alesp, o grupo divulgou um texto em que chama de exíguo o prazo fixados pelo PT estadual -que é presidido pelo próprio Marinho- para inscrição de candidatos.

Pouco antes dessa reunião, Marinho sinalizou com uma série de compromissos para debelar essa crise. Marinho se comprometeu, por exemplo, a apoiar a campanha pela reeleição de todos os deputados petistas que não integram sua corrente partidária, a CNB (Construindo um Novo Brasil).

Aos dissidentes, Marinho disse ainda que tem maior condições de unificar o partido que o ex-prefeito Fernando Haddad.

Questionado por Pietá sobre o futuro de Haddad, Marinho afirmou que gostaria que o ex-prefeito concorresse a um cargo em 2018. Mas frisou ter maior capacidade de aglutinação do que o ex-prefeito.

"Se fosse Haddad, eu abriria mão de disputar em favor dele. Mas não é o caso", disse Marinho.

Reunido com os deputados João Paulo Rillo e Carlos Neder, no gabinete de José Américo Dias, concordou ainda em oficializar a candidatura do vereador Eduardo Suplicy ao Senado.

O PT poderá lançar dois candidatos ao Senado. E chegou a marcar o anúncio da candidatura do Suplicy para o início de dezembro.

Existem outros dois petistas interessados em concorrer: a vereadora Juliana Cardozo e o ex-deputado Jilmar Tatto.

Jilmar tem apoio do grupo político de Marinho. Juliana conta com o suporte de outras correntes internas, inclusive Suplicy.

No pré-lançamento da candidatura de Marinho, Suplicy defendeu abertamente o nome de Juliana. Em retaliação, a formalização da candidatura de Suplicy foi adiada.

Essa atitude de Marinho provocou reação de petistas. Nesta quinta-feira, o presidente do PT prometeu reavaliar essa decisão.

Mesmo depois dos acenos de Marinho, o grupo lançou o nome de Pietá para a disputa. Com informações da Folhapress.

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório