Meteorologia

  • 19 OUTUBRO 2019
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Direita quer 'Moro, rogai por nós'; esquerda critica Judiciário

Confira as manifestações ocorridas em Porto Alegre durante o julgamento do TRF-4

Direita quer 'Moro, rogai por nós'; esquerda critica Judiciário
Notícias ao Minuto Brasil

21:30 - 24/01/18 por Folhapress

Política Porto Alegre

"Se cuida, imperialista! A América Latina vai ser toda socialista!"

O 3 a 0 contra Lula no TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) já se avizinhava quando partidários do ex-presidente assim embalaram a fala de Mercedes Gutierrez, da Assembleia Constituinte venezuelana, composta integralmente por aliados de Nicolás Maduro.

No acampamento em Porto Alegre onde a deputada passou para levar "a solidariedade" de seu governo, a palavra de ordem para mais de 10 mil defensores de Lula: "O jogo não acaba quando termina".

Mesmo condenado, o ex-presidente continuava como o "plano A" da militância, que buscou consolo pela derrota jurídica em cervejas Polar e nos discursos de líderes como Guilherme Boulos, do MTST, que em São Paulo decretou o fim "do tempo de obediência".

Também empolgou o de frei Sérgio Görgen, ligado ao movimento pela reforma agrária no Estado, que ameaçou com raios a "burguesia golpista".

Se não dava para "passar pano" em "Judiciário safado", outro tipo de pano, um de chão com o rosto de Michel Temer e a inscrição "golpista", era um dos souvenires no camping -junto com canecas com o rosto de Trótski e camisas com o slogan "eleição sem Lula é fraude".

O artista Roosivelt Pinheiro, 53, começou a série no dia em que veio à tona a delação de Joesley Batista contra o presidente, 17/5/2016. Já vendeu 4.000 panos desde então. "Costumo chamar as peças de 'vuduzinho'."

A 4 km do Anfiteatro Pôr do Sol, onde a vigília por Lula se concentrou e gaúchos receberam a Fifa Fan Fest na Copa de 2014, pop era o "pixulekinho" do ex-presidente (um deles enjaulado numa gaiola de passarinho).

Por lá, grupos de direita celebravam o placar com chope a R$ 5 e som da Banda Loka Liberal, que se diz representada pela Capitalismo Selvagem Records e canta letras como "A Manuela [D'Ávila, nome do PC do B para o Planalto] é comunista/ Usa iphone e mora na Bela Vista".

Pedindo buzinaço para carros que passavam (e sendo prontamente atendidos), ativistas pró-intervenção militar içavam faixas que saudavam o juiz Sergio Moro ("Moro, rogai por nós") e "Luiz Inácio Réu da Silva".

Tratado como herói por ali, Kim Kataguiri, líder do MBL (Movimento Brasil Livre), disse que a condenação mostra que ninguém está acima da lei. "Nos escândalos passados, nunca uma pessoa tão poderosa como um ex-presidente acabava indo para a cadeia."

O youtuber do canal "Mamãe Falei", com provocações à esquerda, Artur do Val reclamou que foi ao ato rival e acabou escorraçado. "Uma senhora até me espetou, acho que com um garfo." Disse ter sido salvo por um amigo do Partido Novo, que "por acaso" passava por ali. "Subi na moto dele em movimento."

Pouco antes, um militante de extrema-direita forçou a tela de seu celular no rosto da repórter da Folha de S.Paulo para mostrar vídeo do que seria um jovem amordaçado prestes a ser assassinado por forças de Maduro.

"Você é comunista, eu sei que é. Sou muito agressivo com comunistas", disse e repetiu no megafone a acusação.

Para a chef de cozinha Cristina Fernandes, 58, nem o capitão da reserva Jair Bolsonaro se salva.

Se é parlamentar, logo "também tira seu quinhão", diz. O fato de ser pré-candidato à Presidência também incomoda, ainda mais num pleito "que será fraudado com urnas de uma empresa venezuelana". "Só se tivesse a hombridade de abrir mão do mandato e pedir intervenção." Com informações da Folhapress. 

Campo obrigatório