Meteorologia

  • 26 ABRIL 2019
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 15º

Edição

STF julga nesta terça primeira ação penal contra político na Lava Jato

Deputado federal Nelson Meurer (PP-PR) foi denunciado em outubro de 2015 pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro

STF julga nesta terça primeira ação penal contra político na Lava Jato
Notícias ao Minuto Brasil

08:06 - 15/05/18 por Notícias Ao Minuto

Política Pauta

O julgamento da ação penal contra o deputado federal Nelson Meurer (PP-PR) e seus dois filhos, Nelson Meurer Júnior e Cristiano Augusto Meurer, está marcado para ocorrer nesta terça-feira (15).

Será o primeiro julgamento de um réu com foro privilegiado na Operação Lava Jato desde o início das investigações. O processo foi liberado pelo ministro Celso de Mello, revisor do voto do relator da força-tarefa na Corte, Edson Fachin, no dia 23 de abril.

O caso será julgado pela segunda turma, também composta pelos ministros Gilmar Mendes, Dias Toffoli e Ricardo Lewandowski.

O deputado foi denunciado em outubro de 2015 pelo então procurador-geral da República Rodrigo Janot, pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

+ Temer vai enfrentar ao menos quatro processos quando deixar governo

Segundo a acusação, ele teria solicitado e recebido, em nome do PP, mais de R$ 357,9 milhões em propina entre os anos de 2006 e 2014, no esquema de corrupção na Petrobras. A denúncia foi aceita pela Segunda Turma do STF em junho de 2016, quando foi aberta a ação penal.

A acusação tem como ponto de partida a delação premiada de Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, e tido como homem do PP na petroleira estatal.

Em suas alegações finais, a defesa de Meurer afirmou que o Ministério Público Federal (MPF) não conseguiu comprovar a denúncia contra o deputado, ficando a imputação dos crimes baseada somente nas palavras do colaborador, o que é insuficiente para a condenação.

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório