Meteorologia

  • 20 AGOSTO 2018
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 15º

Edição

Maia: Ciro não é maior probabilidade do DEM, mas diálogo está aberto

Nesta quarta, presidente da Câmara tem encontro com o irmão do pré-candidato do PDT, o ex-governador Cid Gomes, em Brasília

Maia: Ciro não é maior probabilidade do DEM, mas diálogo está aberto
Notícias ao Minuto Brasil

12:59 - 13/06/18 por Folhapress

Política Articulação

Pré-candidato ao Palácio do Planalto, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse nesta quarta-feira (13) que uma aliança com o PDT de Ciro Gomes (CE) não é a maior probabilidade, mas que, como partido do centro do espectro político, não pode restringir diálogo.

"É a maior probabilidade do DEM? Claro que não é. Mas se criamos este ambiente chamado centro, que nunca existiu, se a gente restringe o diálogo com A, B ou C, não é mais centro", disse Maia em um evento da Abert (Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão) onde fez elogios a Ciro Gomes. Nesta quarta, ele tem um encontro com o irmão do presidenciável, o ex-governador Cid Gomes, em Brasília.

Em quase meia hora de palestra, Maia lembrou momentos de parceria entre Ciro e seu grupo político no Rio. Também minimizou desavenças e discordâncias ideológicas, disse que "no momento do calor, às vezes a gente erra" e falou em "potencializar aquilo que teve de positivo na relação" e que, dependendo das opções, o pré-candidato do PDT "será opção clara no segundo turno".

+ Moro proíbe uso de provas colhidas pela Lava Jato contra colaboradores

Maia também tem dialogado com o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP), que pediu uma conversa entre os dois nesta quarta-feira, quando o tucano também estará em Brasília.

"Natural que a gente tem mais condições de diálogo com o governador Geraldo Alckmin, com o senador Alvaro Dias (PODE-PR), mas não significa que a gente não possa conversar com PDT, PC do B...", afirmou.

Patinando nas pesquisas eleitorais, assim como os demais candidatos do chamado centro, Maia disse que pode, sim, abrir mão da disputa para apoiar outro nome do campo. O plano B do deputado sempre foi reunir condições de ser reconduzido à presidência da Câmara.

"Se a gente tiver transparência no debate, eu não tenho problema nenhum de chegar no dia 30 de julho e entender que tem um caminho que tem mais viabilidade do que o meu para construir palanques regionais e tempo de televisão. Por enquanto, não vejo ninguém com essas condições e não vejo ninguém no nosso campo, neste momento, com capacidade de liderar o campo", afirmou.

Ele admitiu que, apesar de se considerar com mais condições de crescer no processo eleitoral, tem a desvantagem de nunca ter sido majoritário.

Maia ponderou que sociedade e pré-candidatos de seu campo têm visões diferentes do que é ser centro e que, neste momento, a ala vitoriosa é aquela que faz oposição ao governo do presidente Michel Temer.

"O campo vitorioso, neste momento, é o campo de oposição. Querendo ou não, mais próximos ou mais distantes, este campo de centro-direita, no imaginário da sociedade, está próximo ao presidente da República, que é quem será contestado na eleição", afirmou. Com informações da Folhapress.

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório
Competição
Quer ganhar um
iPhone X no valor de R$ 7.799? Não, obrigado

Notícias ao Minuto
Inscreva-se agora e concorra ao
SMARTPHONE
Mais cobiçado do momento
Complete as 5 etapas para participar
Notícias ao Minuto