Meteorologia

  • 21 SETEMBRO 2019
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

'Sem comentários', diz Moro sobre decisão de Marco Aurélio

Ministro do STF mandou soltar presos condenados em segunda instância, como o ex-presidente Lula

'Sem comentários', diz Moro sobre decisão de Marco Aurélio
Notícias ao Minuto Brasil

18:51 - 19/12/18 por Folhapress

Política Declaração

Futuro ministro da Justiça do governo Jair Bolsonaro, o ex-juiz Sergio Moro preferiu o silêncio ao ser questionado sobre a decisão do ministro Marco Aurélio Mello, do STF (Supremo Tribunal Federal), que mandou soltar presos condenados em segunda instância, como o ex-presidente Lula.

"Sem comentários, não vou falar sobre isso", disse Moro à Folha após deixar a primeira reunião ministerial da equipe de Bolsonaro, nesta quarta-feira (19) em Brasília.

O ex-juiz da 13ª Vara da Justiça Federal em Curitiba comandou a Lava Jato na capital paranaense e foi responsável pela condenação de Lula em primeira instância no caso tríplex, que o levou à prisão.

+ Raquel Dodge recorre contra liminar que pode soltar Lula

+ Conheça os cenários para a possível soltura de Lula

Em julho de 2017, Moro estipulou ao petista pena de 9 anos e meio por corrupção e lavagem de dinheiro, aumentada a 12 anos e um mês pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região em janeiro deste ano.

Lula e o PT fazem críticas recorrentes a Moro, a quem consideram o algoz do ex-presidente.

Em junho deste ano, quando o desembargador federal plantonista do TRF-4, Rogério Favreto, determinou a soltura de Lula e deu início a uma guerra de decisões judiciais, Moro interveio, mesmo em férias, e disse que Favreto não tinha competência para tomar aquela decisão.

"O Desembargador Federal plantonista, com todo respeito, é autoridade absolutamente incompetente para sobrepor-se à decisão do Colegiado da 8ª Turma do (TRF-4) e ainda do Plenário do Supremo Tribunal Federal", disse Moro à época. Com informações da Folhapress.

A decisão de Favreto foi revista pelo presidente do TRF-4 e Lula permaneceu na carceragem da PF em Curitiba, onde está desde abril.

Leia também:

'Minha decisão tem de ser obedecida', diz Marco Aurélio Mello

Aliados de Bolsonaro pedirão impeachment de Marco Aurélio

Campo obrigatório