Meteorologia

  • 23 ABRIL 2019
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 15º

Edição

Bolsonaro assina pacote anticrime e medidas irão ao Congresso hoje

Proposta é tida como uma das prioridades do governo e prevê mudanças em 14 leis

Bolsonaro assina pacote anticrime e medidas irão ao Congresso hoje
Notícias ao Minuto Brasil

13:12 - 19/02/19 por Folhapress

Política Pauta

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) assinou nesta terça-feira (19) os projetos de lei que compõem o pacote de medidas para combater o crime organizado, crimes violentos e corrupção.

As propostas serão apresentadas ao Congresso à tarde, informou o ministro Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública).

Segundo ele, o projeto de lei que trata do crime de caixa 2 será encaminhado ao Congresso também nesta tarde, mas o texto irá tramitar em separado.

"Houve uma reclamação por parte de alguns agentes políticos de que o caixa 2 é um crime grave, mas não tem a mesma gravidade que corrupção, que crime organizado e crimes violentos. Então nós acabamos optando por colocar a criminalização [de caixa 2] num projeto a parte", justificou. 

Saiba quem é Floriano Peixoto, substituto de Bebianno no governo

+ Dodge pede ao STF para enviar apuração sobre Onyx à Justiça Eleitoral

Ao ser questionado se há diferença entre a prática de caixa 2 e corrupção, Moro declarou que "caixa 2 não é corrupção". "Existe crime de corrupção e existe crime de caixa 2. São dois crimes. Os dois crimes são graves", continuou o ministro.

Moro declarou que os projetos de lei para combater o crime organizado, o crime violento e a corrupção não apenas aumentam penas para esses crimes, mas também cria mecanismos para aprimorar a investigação.

"São problemas que nós entendemos relacionados. Não adiante enfrentar um sem nós enfrentarmos os demais", declarou o ministro.

No início de fevereiro, o ministro apresentou os principais pontos do pacote a governadores e mostrou que incluiu a prisão após a segunda instância e a criminalização do caixa dois entre as medidas.

As propostas precisam passar por comissões do Congresso e serem aprovadas pelo plenário das duas Casas, por maioria simples, antes de irem para sanção do presidente Jair Bolsonaro.

Em entrevista à imprensa nesta terça, Moro não quis comentar a demissão de Gustavo Bebianno do cargo de ministro da Secretaria-Geral da Presidência. Com informações da Folhapress.

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório