Meteorologia

  • 19 AGOSTO 2019
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Bolsonaro apaga vídeo do 'golden shower' após saber de ação no STF

Exclusão acontece 16 dias depois da publicação e dois dias depois da divulgação da ação pela imprensa

Bolsonaro apaga vídeo do 'golden shower' após saber de ação no STF
Notícias ao Minuto Brasil

20:53 - 21/03/19 por Notícias Ao Minuto

Política polêmica do carnaval

O presidente Jair Bolsonaro apagou da sua conta do Twitter o post que deu o que falar no carnaval: um vídeo que mostra duas pessoas praticando o chamado "golden shower" durante o cortejo Blocú, em São Paulo.

A exclusão do tuíte aconteceu 16 dias depois da sua publicação e um dia depois de divulgado na imprensa o pedido feito ao Supremo Tribunal Federal (STF) pelos advogados da dupla que aparece nas imagens para que a publicação fosse apagada.

Como divulgado pela "BBC Brasil", o pedido foi protocolado na terça-feira (19) e passou para a relatoria do ministro Marco Aurélio Mello na quarta. Nesta quinta, o tuíte foi excluído pelo presidente.

+ 'O que é golden shower', pergunta Bolsonaro após publicar vídeo obsceno

Procurada pelo site, a Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República (Secom) disse apenas que "a Presidência da República informa que não vai comentar o assunto".

Em nota ao site, os advogados da dupla que aparece no vídeo, Flavo Grossi e Cynthia Almeida Rosa, disseram que a exclusão do tuíte foi "aparentemente voluntária".

+ 'Justiça nasceu para todos', diz Bolsonaro sobre prisão de Temer

"Em que pese a atitude republicana do mandatário da nação, consideramos que, processual e tecnicamente, ainda há questões jurídicas a serem enfrentadas pelo Supremo Tribunal Federal", dizem os defensores, sem dar detalhes sobre o processo.

"É preciso destacar que a atitude do Presidente é uma grande vitória para os artistas, para a democracia e para o pleno respeito e fruição dos direitos fundamentais, que são inalienáveis, irrenunciáveis e invioláveis, inclusive por ações do Presidente da República", pontuam os advogados.

Campo obrigatório