Meteorologia

  • 13 OUTUBRO 2019
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Programa online quer alertar jovens para perigos na Internet

O "GeraZão" foi pensado para garantir a segurança e a privacidade dos jovens na Internet e está desde hoje disponível.

Programa online quer alertar jovens para perigos na Internet
Notícias ao Minuto Brasil

10:50 - 17/09/19 por Notícias Ao Minuto

Tech Facebook

Os jovens, educadores e os pais têm desde hoje um novo programa educativo 'online' façar sobre as boas práticas de utilização na Internet abordando temáticas como o "bullying" ou o "sextorsion".O "GeraZão" foi pensado para garantir a segurança e a privacidade dos jovens na Internet e está desde hoje disponível.

O programa pertence ao Facebook em parceria com a Organização Não Governamental (ONG) Cibervoluntarios Foundation e conta com o apoio da Direção-Geral da Educação, o Seguranet, a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) e o Centro Internet Segura.

Entre os conteúdos interativos destaca-se o "Desafio Z", um itinerário 'online' que constrói uma rede saudável e segura, e o "Escape Room Z" -- um jogo que permite uma aventura digital educativa.

Existem outros materiais como uma biblioteca de literacia digital do Facebook e recursos de formação do Instagram com padrões e guias sobre temas como o assédio, a identidade digital ou a marca pessoal.

"É fundamental para o Facebook que os jovens, pais e educadores portugueses, consigam usar a Internet de forma segura, conscientes dos riscos que existem e ao mesmo tempo, das possibilidades de segurança e privacidade que as redes sociais oferecem", explicou Natalia Basterrechea, responsável do Facebook Espanha e Portugal na área de políticas públicas.

O novo programa surge no dia em que o Facebook divulga um estudo sobre "Comportamentos 'online' dos jovens em Portugal", que tem por base um inquérito online feito durante o mês de agosto a 1000 jovens, entre os 14 e os 19 anos.

O estudo revelou que 38% dos jovens já se sentiu desconfortável enquanto navegava na Internet e 60% reportaram nas redes sociais situações que consideraram erradas.

A maioria já bloqueou ou deixou de seguir alguém, assim como a maioria garante que nunca partilharia as suas palavras passe com ninguém.

Campo obrigatório