Meteorologia

  • 11 DEZEMBRO 2019
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Ucrânia quer recuperar status de potência nuclear

Ex-presidente aposta que seriam necessários pelo menos 100 bilhões de dólares

Ucrânia quer recuperar status de potência nuclear
Notícias ao Minuto Brasil

07:59 - 19/01/17 por Notícias Ao Minuto

Tech Volta

O primeiro presidente ucraniano, Leonid Kravchuk, analisou as possibilidades de Kiev de recuperar seu status como potência nuclear.

De acordo com o político, atualmente a Ucrânia está sendo manipulada em torno do tema do status de potência nuclear, que Kiev abandonou há mais de duas décadas.

"Quando a mesma questão foi levantada na minha época, considerávamos que, para restabelecer as suas armas nucleares, a Ucrânia precisava de cerca de 45 bilhões de dólares. Agora, aposto que precisam de uns 100 bilhões", declarou o ex-presidente ucraniano ao canal de televisão 112 Ukraina, onde salientou: "Não sei de onde pretendem estes senhores [os que apostam em retomar o programa] tirar o dinheiro".

Ao mesmo tempo, Kravchuk salientou que, teoricamente, "a Ucrânia deve ser capaz de criar suas armas nucleares se a Coreia do Norte pode fazer o mesmo".

"Eu serei completamente contra, uma vez que acho que qualquer arma de destruição em massa não é o fator-chave para manter a paz no mundo. Para alcançar essa paz não é necessário ter armas", enfatizou.

Kravchuk considera que a decisão de retirar do território ucraniano um submarino nuclear foi totalmente correta. Como Leonid Kravchuk havia dito anteriormente, se a Ucrânia tivesse bombas nucleares, seria parecida a "um macaco com uma granada".

Em dezembro, os parlamentares ucranianos do Partido Radical de Oleg Lyashko propuseram que o país recuperasse seu status de potência nuclear. Em 1994, três anos depois da dissolução da União Soviética, a Ucrânia, Rússia, Reino Unido e EUA assinaram o Memorando de Budapeste sobre as Garantias de Segurança, segundo o qual a parte ucraniana desistiu de manter armas nucleares em seu território. (SputnikBrasil)

Campo obrigatório