Meteorologia

  • 11 DEZEMBRO 2017
Tempo
10º
MIN 10º MÁX 10º

Edição

Cientistas desmentem mistério de bactérias 'ETs' em estação espacial

Organismos têm origem no planeta Terra

Cientistas desmentem mistério de bactérias 'ETs' em estação espacial
Notícias ao Minuto Brasil

17:01 - 06/12/17 por Notícias Ao Minuto

Tech não procede

Micróbios descobertos no exterior da estação espacial têm origem terrestre e não contêm nada de novo para os especialistas da Nasa e para os colegas do Instituto de Problemas Medico-Biológicos em Moscou, comunicou Craig Kundrot, o chefe de um departamento da agência espacial norte-americana.

No fim de maio, veículos de imprensa publicaram a informação de que os cosmonautas russos que recolhiam poeiras do revestimento exterior da Estação Espacial Internacional descobriram micróbios vivos. Esta descoberta, de acordo com o cosmonauta russo Aleksandr Misurkin, apontava a possibilidade de que a vida na Terra podia ter sido trazida do espaço.

+ Motorista poderá pedir comida e fazer compras pelo painel do carro 

"Sabemos muito bem e já há muito tempo que as bactérias terrestres podem frequentemente se depositar no exterior da Estação Espacial Internacional e viver na superfície dela. Elas podem ter sido levadas para aí junto com gases emitidos pela estação, bem como a partir da atmosfera terrestre. Por outro lado, ainda não sabemos o que encontraram exatamente os nossos colegas, porque ainda não foram apresentados nenhuns dados ou amostras", afirmou Kundrot.

Estes micróbios, segundo acrescentou o cientista, têm origem bem terrestre e não são "provenientes do espaço", como foi anunciado por várias mídias.

Cientista russo Vladimir Sychev, que é o chefe de projetos dos satélites russos Bion-M e Bion-M2, está de acordo com o colega da unidade espacial norte-americana.

"A TSNIIMASH e os cosmonautas já há vários anos recolhem amostras do exterior da EEI nas partes onde não chegam os raios do Sol, e é natural que eles frequentemente descubram aí micróbios. Estes micróbios, por regra, surgem na EEI vindos da atmosfera exterior — uma parte deles se instala e sobrevive aí. Isso não é nada surpreendente, porque o espaço sem ar é menos agressivo para alguns organismos do que a atmosfera com oxigênio", explica o cientista.

Na presença de oxigênio, segundo informa Sychev, até os produtos congelados se decompõem e se oxidam gradualmente. No vácuo do espaço, os espórios das bactérias podem existir durante longo período de tempo se não forem expostos a radiação ultravioleta ou de partículas de alta energia e não forem aquecidos a temperaturas extremamente altas.

Por isso, o fato que os micróbios conseguiram sobreviver nas partes exteriores da EEI não tem nada de extraordinário. Com informações da Sputnik News.

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório