Meteorologia

  • 20 JULHO 2019
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 15º

Edição

YouTube ignorou pedidos para remover vídeos falsos

Chefes da empresa tinham meta de chegar às bilhões de horas de visualização de vídeos

Notícias ao Minuto Brasil

04:51 - 03/04/19 por Notícias Ao Minuto

Tech Toxicidade

Uma investigação realizada pela Bloomberg revela que o YouTube ignorou pedidos de funcionários para remover vídeos falsos e tóxicos, mesmo depois de as equipes internas submeterem propostas para impedir a disseminação de conteúdo extremista ou teorias da conspiração.

+ Facebook e Apple querem lei de proteção de dados nos EUA

Segundo a investigação, os chefes do YouTube queriam aumentar a interação na plataforma e chegar as bilhões de horas de visualização por dia. A CEO Susan Wojcicki decidiu manter-se afastada das fake news, uma vez que a sua única função era “gerir a empresa”.

A investigação da Bloomberg teve a participação de mais de 20 funcionários e ex-trabalhadores do YouTube. Um desses colaboradores afirma ter submetido uma proposta em 2016 que removeria vídeos falsos identificados do separador de recomendação. A empresa rejeitou a sugestão e continuou a recomendar os vídeos, desencorajando que os funcionários fora da equipe de moderação procurassem por conteúdo tóxico.

Recentemente o YouTube foi alvo de críticas por permitir vídeos contendo mensagens da boneca Momo, que incentivava a mutilação e o suicídio entre crianças, na área infantil do site, o YouTube Kids.

Campo obrigatório