Meteorologia

  • 22 SETEMBRO 2021
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Termo de consentimento para 'mistura' de vacinas não será mais obrigatório

Na cidade de São Paulo

Termo de consentimento para 'mistura' de vacinas não será mais obrigatório
Notícias ao Minuto Brasil

11:48 - 14/09/21 por Estadao Conteudo

Brasil vacinas

O secretário municipal de Saúde de São Paulo, Edson Aparecido, disse que o município não exigirá mais a assinatura de um termo de consentimento para quem receber doses de vacinas contra a covid-19 de marcas diferentes. A declaração foi dada em entrevista à rádio Eldorado na manhã desta terça-feira, 14. Por falta de vacinas, a cidade está aplicando a segunda dose da Pfizer em quem recebeu a primeira da AstraZeneca.

Aparecido diz que o termo leva tempo para ser preenchido e assinado, atrasando a vacinação. "As pessoas já têm um conhecimento muito amplo a respeito da falta de AstraZeneca e do sucesso do intercâmbio de vacinas", afirma. A "mistura" de vacinas de marcas diferentes é uma estratégia segura e eficaz, segundo especialistas.

De acordo com o secretário, a ordem para preencher e assinar o termo constava em um instrutivo do governo do Estado publicado no último sábado. "Hoje (terça) pela manhã nós recebemos um novo instrutivo tornando esse termo facultativo. Não é mais obrigatório", afirma.

Na tarde de segunda-feira, 13, a Secretaria Estadual de Saúde tinha dito em nota ao Estadão que o documento não seria de preenchimento obrigatório. O Estado afirmou também que o objetivo do documento é informar ao cidadão sobre a estratégia de imunização com vacinas diferentes.

O desabastecimento da vacina da AstraZeneca em São Paulo começou na última quinta-feira. Na sexta, o imunizante já havia sumido dos postos da capital. Outras unidades da federação, como Maranhão, Pernambuco e Rio de Janeiro, sofrem com o mesmo problema.

A falta de doses levou esses Estados a adotar o esquema heterólogo de vacinação. Nas cidades em que não há mais AstraZeneca, a imunização pode ser completada com a Pfizer. Em São Paulo, a medida vale para quem precisa receber a segunda dose até esta quarta-feira.

Campo obrigatório