Meteorologia

  • 23 JANEIRO 2022
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Doria diz esperar que Anvisa libere uso pediátrico da Coronavac na semana que vem

São Paulo recebeu do Ministério da Saúde 234 mil doses da vacina da Pfizer para começar a imunização das crianças

Doria diz esperar que Anvisa libere uso pediátrico da Coronavac na semana que vem
Notícias ao Minuto Brasil

17:48 - 14/01/22 por Estadao Conteudo

Brasil Governador

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), aproveitou a cerimônia de vacinação da primeira criança no País contra a covid-19 para cobrar da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) a liberação do uso pediátrico da Coronavac, vacina produzida pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac. "Espero que semana que vem possamos ter a deliberação da Anvisa", disse o governador paulista.

A cobrança não veio sem antes o tucano fazer uma série de elogios à agência sanitária que, segundo ele, "vem realizando um extraordinário trabalho em defesa da ciência, da medicina e da vida". Doria afirmou que o Butantan tem 15 milhões de doses da vacina prontas para iniciar a imunização das crianças. "Numa escala muito maior do que o volume de vacinas até o presente momento estão previstas pelo Programa Nacional de Imunização", pontuou.

Segundo o governo, São Paulo recebeu do Ministério da Saúde 234 mil doses da vacina da Pfizer para começar a imunização das crianças.

Nesta sexta-feira (14), o menino indígena Davi, de 8 anos, da etnia Xavante, foi a primeira criança a ser vacinada contra a covid-19 no País. A aplicação para o público geral da faixa etária infantil autorizada, no entanto, só está prevista para começar na capital paulista na segunda-feira, 17.

Cronograma

Sobre o cronograma de vacinação, o secretário executivo da Saúde do Estado, Eduardo Ribeiro, afirmou que, entre os dias 14 de janeiro e 10 de fevereiro, devem ser vacinadas as crianças com comorbidades, deficiências, além de indígenas e quilombolas.

Na segunda semana de fevereiro, devem ser imunizadas crianças de 10 e 11 anos, e parcialmente crianças de 9 anos. As datas precisas, contudo, dependem do cronograma de entrega das doses pelo Ministério da Saúde.

O intervalo entre a aplicação das duas doses nas crianças é de 8 semanas, como definido pelo Ministério da Saúde.

Campo obrigatório