Meteorologia

  • 19 AGOSTO 2022
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

'Minions 2' diverte pais e filhos ao unir comédia, kung fu e anos 1970

"Minions 2" se passa nos anos 1970, quando Gru tinha quase 12 anos

'Minions 2' diverte pais e filhos ao unir comédia, kung fu e anos 1970

BrunoPress

Notícias ao Minuto Brasil

17:24 - 29/06/22 por Folhapress

Cultura Cinema

FOLHAPRESS - Com uma bilheteria de mais de US$ 3,7 bilhões ao redor do mundo, a franquia "Meu Malvado Favorito", que retorna aos cinemas com "Minions 2: A Origem de Gru", desbancou "Shrek" há alguns anos como a mais lucrativa entre as animações. Ou seja, não vamos nos ver livres das pequenas criaturas amarelas tão cedo.

Os ajudantes desastrados do simpático supervilão Gru –interpretado por Steve Carrell na versão original e por Leandro Hassum na cópia dublada- começaram apenas como figurantes em "Meu Malvado Favorito", mas ganharam uma história própria em 2015. Apesar das críticas pouco elogiosas, a produção abocanhou mais de US$ 1 bilhão, tornando a sequência inevitável.

Após um atraso de dois anos em decorrência da pandemia, o sucesso recente de títulos infantis como "Sonic 2: O Filme" e "Os Caras Malvados" assegurou à Universal Pictures que o momento é oportuno para o lançamento de "Minions 2" nos cinemas -o desempenho aquém do esperado de "Lightyear", nova animação da Pixar, seria só uma anomalia.

Produzido pela Illumination, estúdio também responsável por "Sing" e "Pets: A Vida Secreta dos Bichos", "Minions 2" se passa nos anos 1970, quando Gru tinha quase 12 anos, mas já sonhava com a dominação mundial. Os pequenos capangas, que incluem Kevin, Stuart e Bob, ajudam Gru a construir o seu primeiro covil e a executar os seus primeiros planos.

Quando a gangue conhecida como Sexteto Sinistro expulsa o seu líder, o lendário Willy Kobra -voz de Alan Arkin, vencedor do Oscar por "Pequena Miss Sunshine"–, o jovem Gru decide ocupar a vaga. Para provar que é merecedor, ele rouba a enigmática Pedra do Zodíaco, mas acaba despertando a ira da quadrilha, que não vai deixar o atrevimento passar batido.Com inimigos como Donna Disco, Jean Garra, Irmã Chaco, Svengança e Punho de Aço –respectivamente, Taraji P. Henson, Jean-Claude Van Damme, Lucy Lawless, Dolph Lundgren e Danny Trejo, todos familiarizados com o gênero da ação–, os minions terão de dominar a arte do kung fu para tentar salvar o "minichefe".

Orçado em US$ 76 milhões, "Minions 2" também tem no elenco a dama Julie Andrews como a mãe egocêntrica de Gru, Russell Brand como o cientista maluco Doutor Nefário e Michelle Yeoh –em grande ano, graças ao fenomenal "Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo"– como a Mestra Chow, uma acupunturista que arrasa no kung fu.

Dirigido por Kyle Balda, Brad Ableson e Jonathan del Val, "Minions 2" é mais colorido e criativo do que o seu predecessor. A abertura à la James Bond e a montagem de treinamento dos minions rendem sequências divertidas. Como de costume, a animação aposta em gags visuais, mas os personagens da gangue são subutilizados.

Só Gru e Willy Kobra possuem algum tipo de desenvolvimento ao longo da história –Gru aprende a dar valor ao trabalho em equipe e, depois de ter sido enganado, Kobra volta a confiar num novo parceiro no crime. Fora a aparência, os outros vilões não têm características distintas ou tempo suficiente em cena, o que parece um desperdício do elenco.

Mesmo com os "easter eggs" protocolares numa cultura dominada pelo universo da Marvel –como se a plateia do cinema fosse gritar e aplaudir ao ver uma breve referência ao primeiro antagonista da franquia–, "Minions 2" ainda pode ser considerado como uma vitória se servir de introdução para os pequenos às figuras de Bruce Lee e Pam Grier.

Mesmo sem alcançar o patamar das melhores obras da Pixar, o que nunca foi proposta da Illumination, a premissa de um filme de artes marciais recheado com influências setentistas e estrelado por criaturinhas amarelas é interessante o suficiente para manter pais e filhos entretidos.

MINIONS 2: A ORIGEM DE GRU

Quando Estreia nesta quinta (29)
Onde Nos cinemas
Classificação Livre
Produção EUA, 2022
Direção Kyle Balda, Brad Ableson e Jonathan del Val
Avaliação Bom

Campo obrigatório