Meteorologia

  • 22 OUTUBRO 2018
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 15º

Edição

Saiba como será a transformação de Marte para receber humanos

Ideia inicial é estabelecer bases simples com elementos modulares, como conteineres, enviados da Terra

Saiba como será a transformação de Marte para receber humanos
Notícias ao Minuto Brasil

07:00 - 13/08/18 por Notícias Ao Minuto

Tech colonização

A Nasa e iniciativas privadas, como a SpaceX, acreditam que Marte será habitado por humanos dentro de 20 a 30 anos. Para que isso seja possível, existem planos ambiciosos para uma rápida transformação do Planeta Vermelho.

A ideia inicial é estabelecer bases simples com elementos modulares, como conteineres, enviados da Terra. Como explica o G1, estas estruturas deverão fornecer água, oxigênio e calor, além de terem uma blidagem reforçada, pois Marte não tem campo magnético.

O nosso planeta tem um campo magnético que, apesar de não ser 100% eficiente, ajuda a defletir partículas solares e raios cósmicos que podem causar danos ao DNA quando absorvidos pelo corpo humano. Marte também não tem proteção contra os raios UV do Sol, pois não possui uma camada de ozônio como a Terra.

Essas bases devem se tornar pequenas vilas e, posteriormente, cidades protegidas por redomas que consigam manter condições de habitabilidade iguais às da Terra.

Outra ideia, denominada de terraformação, quer deixar Marte com as mesmas condições de habitabilidade da Terra, iniciando com a criação de uma atmosfera, que aumentará a pressão atmosférica e manterá a água em estado líquido.

Como explica a publicação, mesmo que a temperatura seja alta para a água descongelar, com a atual pressão atmosférica de Marte (menos de 1% da pressão atmosférica terrestre) o gelo não derrete, ele passa direto de sólido para vapor, em um processo de sublimação.

Para aumentar a densidade de pressão da atmosfera e disparar o processo de aquecimento global através do efeito estufa, os cientistas planejam liberar o gás carbônico preso sobretudo nas calotas polares sob a forma de gelo seco.

Tanto o efeito estufa quando o aquecimento global são normalmente associados à degradação do meio ambiente, mas, na verdade, são elementos importantes para a manutenção da vida, desde que estejam regulados.

+ Nasa adia missão ao Sol; nova tentativa será neste domingo

Com água em estado líquido, lagos e mares poderiam se formar e algas e bactérias poderiam converter o gás carbônico em oxigênio, como aconteceu com a Terra. Plantas poderiam ajudar na terraformação.

Os pesquisadores não sabiam, no entanto, se o gás carbônico é suficiente para promover todo esse processo. Em um artigo publicado na revista "Nature Astronomy", os autores do trabalho, Bruce Jakosky e Cristopher Edwards, esclarecem que não há gelo seco suficiente nas calotas polares para fazer a atmosfera marciana atingir a pressão mínima para manter a água no estado líquido.

Jakosky e Edwards acharam uma possível solução: vaporizar o gelo seco e os claratos dos polos, que podem aprisionar moléculas de água e gás carbônico. Feito isto, eles calculam que a atmosfera de Marte possa se tornar habitável.

Os dois cientistas da Universidade do Colorado, nos Estados Unidos, resolveram então incluir rochas, minerais que estão um pouco abaixo da superfície, além da areia que cobre Marte. Assim, a pressão conseguiria atingir níveis muito altos.

De acordo com o estudo, apenas se as rochas profundas no subsolo do planeta todo liberarem o carbono aprisionado é que a pressão atingiria o valor necessário para impedir que a água se evapore ao descongelar. Esse valor é o equivalente à pressão atmosférica ao nível no mar na Terra.

A ideia então é aquecer as calotas polares, fazendo os claratos liberarem água e gás carbônico. Para liberar o gás do carbono aprisionado no subsolo não muito profundo, seria necessário aquecer as rochas a uma temperatura de 300ºC. O que nunca ocorreria naturalmente, sendo necessário um alto investimento de energia e, mesmo assim, não chegaria nem perto.

Segundo os pesquisadores, há uma forma de produzir toda essa energia. Para tanto, seria necessário desviar pequenos asteroides de suas órbitas para colidir com Marte. A energia do impacto esquentaria as rochas e resolveria o problema.

Em resumo, a terraformação de Marte não é possível com as tecnologias existentes. O que significa que os colonizadores do Planeta Vermelho precisarão viver confinados em módulos durante muito tempo.

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório