Meteorologia

  • 28 MAIO 2020
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Pesquisa traça perfil da violência contra a mulher no Nordeste

Resultados serão usados para formular políticas, ações e atividades de enfrentamento aos crimes e abusos cometidos contra as brasileiras

Pesquisa traça perfil da violência contra 
a mulher no Nordeste
Notícias ao Minuto Brasil

19:31 - 22/10/16 por Notícias Ao Minuto

Brasil Crime

A Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, do Ministério da Justiça e Cidadania, está investindo cerca de R$ 2 milhões na maior pesquisa da América Latina sobre violência doméstica e familiar contra as mulheres. As informações são do Portal Brasil.

A consulta vem sendo desenvolvida em nove capitais da região Nordeste, pelo Instituto Maria da Penha, em parceria com a Universidade Federal do Ceará e o Instituto para Estudos Avançados de Toulouse. Além da SPM, a iniciativa tem também o financiamento do Banco Mundial e da Universidade de Toulouse, da França.

Os resultados vão balizar as políticas, ações e atividades de enfrentamento aos crimes e abusos cometidos contra as brasileiras. A “Pesquisa de Condições Sócio Econômicas, Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher” quer traçar a forma como a violência doméstica se apresenta nestes locais.

A partir dos dados coletados, será possível estabelecer políticas públicas para a redução desses crimes.

Os trabalhos, já iniciados em 2016, se estendem até o próximo ano. Os resultados parciais, no entanto, serão apresentados no próximo dia 8 de dezembro, em Fortaleza – CE.

Para a secretária Fátima Pelaes, o estudo está sendo bastante aguardado pelas instituições governamentais e organizações que trabalham com o tema.

“A espera se dá tanto devido à amplitude da pesquisa, pois serão mais de 10 mil famílias visitadas, quanto pela qualidade técnica dos especialistas de instituições como a Escola de Economia de Toulouse (TSE/França), Universidade Federal do Ceará, Universidade de Oxford (Reino Unido) e Banco Mundial (USA), envolvidos o projeto”.

LEIA TAMBÉM: Ministro da Saúde admite que Brasil vive uma epidemia de sífilis

Campo obrigatório