Meteorologia

  • 17 JUNHO 2019
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 15º

Edição

Maior parte do faturamento do The Guardian passa a vir da internet

O resultado inédito aparece em relatório da empresa a respeito de seu desempenho nos últimos 12 meses terminados em abril

Maior parte do faturamento do The Guardian passa a vir da internet
Notícias ao Minuto Brasil

16:12 - 25/07/18 por Folhapress

Economia resultado

O faturamento obtido a partir das edições digitais dos jornais The Guardian e The Observer passou a representar a maior parte do faturamento do GMG, grupo que edita as publicações britânicas.

O resultado inédito aparece em relatório da empresa a respeito de seu desempenho nos últimos 12 meses terminados em abril.

No período, a receita que veio das edições digitais foi de £ 108.6 milhões (R$ 530 milhões). O valor ficou acima do obtido com as edições impressas e os eventos produzidos pelo grupo, que geraram £ 107.5 milhões (R$ 524,6 milhões).

+ Alemanha e Japão se aliam em oposição a tarifas comerciais de Trump

Segundo a companhia, o faturamento digital cresceu 15% em um ano, enquanto o faturamento com jornais impressos e eventos caiu 10%.

Segundo o GMG, 570 mil pessoas davam apoio regular às publicações a partir da internet em abril, 70 mil a mais do que no mesmo mês do ano passado. A companhia também recebeu cerca de 375 mil contribuições esporádicas nos últimos 12 meses terminados em abril.

O GMG não cobra pelo acesso aos textos nas edições digitais dos jornais. A companhia optou por modelo baseado em contribuições voluntárias de leitores.

Os sites dos jornais atraíram mensalmente 150 milhões de visitantes diferentes. No mesmo período do ano passado, a média era de 140 milhões.

A circulação do The Guardian em sua edição impressa é de 138 mil exemplares diários.

Em meio a plano de reestruturação de três anos iniciado em 2016, o GMG diz estar próxima do ponto de equilíbrio (quando receitas e despesas se igualam) em um ano.

Para isso, o grupo vem realizando ações para reduzir custos, incluindo diminuição do número de funcionários a partir de planos de demissão voluntária e mudança no formato do jornal, que passou a circular como tabloide neste ano.

Em dois anos, o prejuízo da companhia caiu de £ 57 milhões (R$ 278 milhões) para £ 19 milhões (R$ 92,7 milhões). Com informações da Folhapress. 

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório