Meteorologia

  • 22 NOVEMBRO 2019
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Gita Gopinath é 1ª mulher a ocupar posto de economista-chefe do FMI

Ela, que é indiana, atua no momento como professora do Instituto John Zwaanstra de Estudos Internacionais e Economia na universidade Harvard

Gita Gopinath é 1ª mulher a ocupar posto de economista-chefe do FMI
Notícias ao Minuto Brasil

05:23 - 02/10/18 por Folhapress

Economia Direção

A diretora-gerente do FMI (Fundo Monetário Internacional), Christine Lagarde, apontou nesta segunda-feira (1º) a indiana Gita Gopinath, 46, como nova economista-chefe do órgão. É a primeira vez que uma mulher ocupa o posto.

Gopinath substituirá Maurice Obstfeld, que, em julho, anunciou que se aposentaria no final deste ano. Atualmente, Gopinath atua como professora do Instituto John Zwaanstra de Estudos Internacionais e Economia na universidade Harvard.

Em comunicado, Lagarde qualifica Gita como uma das economistas mais "excepcionais" do mundo, com credenciais acadêmicas impecáveis, um registro comprovado de liderança intelectual e uma extensa experiência internacional.

+ Trump acusa Brasil de tratar empresas americanas injustamente

"Tudo isso torna ela excepcionalmente bem-colocada para liderar nosso departamento de pesquisas nessa conjuntura importante. Estou encantada em nomear uma figura tão talentosa como nossa economista-chefe", afirmou a diretora-gerente do FMI.

Gopinath é coeditora da revista acadêmica American Economic Review e codiretora do programa de finanças e macroeconomia do NBER (escritório nacional de pesquisa econômica, na sigla em inglês).

A indiana é autora de cerca de 40 artigos de pesquisa sobre temas como taxas de juros, comércio e investimento, crises financeiras internacionais e em mercados emergentes e política monetária, entre outros.

A nova economista-chefe do FMI nasceu e cresceu na Índia, mas possui cidadania americana. Ela recebeu seu pós-doutorado em economia da universidade Princeton em 2001, mesmo ano em que começou a trabalhar na universidade de Chicago como professora assistente. Em 2005, trocou o centro de ensino por Harvard. Com informações da Folhapress.

Campo obrigatório