Meteorologia

  • 12 JULHO 2024
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Em aceno eleitoral, Biden protegerá de deportação cônjuges de americanos sem documentos

A ação contrasta com os planos de deportações em massa de Trump, o provável rival nas eleições de novembro

Em aceno eleitoral, Biden protegerá de deportação cônjuges de americanos sem documentos

Getty Images

Notícias ao Minuto Brasil

16:48 - 18/06/24 por Folhapress

Mundo EUA

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, vai anunciar nesta terça-feira (18) um programa que dará mais proteção para centenas de milhares de imigrantes que vivem ilegalmente nos país mas são casados com cidadãos americanos.

A ação contrasta com os planos de deportações em massa do seu provável rival nas eleições de novembro, o republicano Donald Trump, e até mesmo com uma medida tomada pelo próprio democrata há algumas semanas -no início de junho, Biden assinou uma ordem executiva para limitar a entrada de imigrantes pela fronteira com o México.

A política anunciada nesta terça pode abranger cerca de 500 mil cônjuges sem documentos, o que a torna a medida mais abrangente em relação ao tema em mais de uma década. Os contemplados serão protegidos da deportação e poderão trabalhar legalmente na nação norte-americana.

O programa visa aqueles que casaram com um cidadão americano, o que geralmente oferece um caminho para a cidadania, mas cruzaram a fronteira sul ilegalmente, em vez de chegar ao país com um visto. Normalmente, essas pessoas precisam retornar aos seus países de origem para obter um green card.

Com a nova política, os cônjuges poderão solicitar residência permanente sem sair dos EUA, eliminando um processo potencialmente longo, evitando a separação familiar e abrindo caminho para obter um status legal perto de suas famílias.

Para acessar a política, que será implementada nos próximos meses, a pessoa deve ter completado dez anos vivendo nos EUA até o último dia 17 de junho, segundo funcionários do governo. De acordo com eles, cerca de 50 mil crianças menores de 21 anos que tenham um pai americano também serão elegíveis, e a maioria dos beneficiados serão mexicanos.

A política, porém, não entrará em vigor imediatamente. Funcionários do governo disseram que a expectativa é que o programa seja lançado até o final de setembro, quando os interessados poderão solicitar o benefício.

Biden deve divulgar o programa durante uma cerimônia na Casa Branca nesta terça, dia que marca o 12º aniversário do Daca, programa que impede a deportação de imigrantes que entraram no país quando eram crianças, da era Obama.

Lançado em 2012, quando Biden era vice-presidente de Barack Obama, o Daca atualmente livra da deportação e dá autorizações de trabalho a 528 mil pessoas pessoas levadas aos EUA quando crianças -os "dreamers", como são chamados no país. Nesta terça, o governo também deve divulgar orientações para facilitar a obtenção de vistos de trabalho a esse grupo.

Campo obrigatório