Lista de Fachin será redistribuída entre ministros do STF

Processos que não se referem diretamente à Petrobras devem deixar gabinete do relator da Lava Jato

© Carlos Moura/SCO/STF
Política organizando a casa 16:35 - 20/04/17 POR Notícias Ao Minuto

O ministro relator da Lava Jato, Edson Fachin, vai pedir a redistribuição de cerca de 40% dos novos inquéritos abertos para os demais ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Segundo publicado pelo O Globo, os casos que deixarão de ser de responsabilidade de Fachin não têm ligação direta com a Petrobras, mas sim com crimes de corrupção relacionados, relatados pelos executivos e ex-executivos da Odebrecht.

PUB

A nova divisão de tarefas deverá ser feita por meio de sorteio. Os ministros já estão se preparando para receber a demanda.

O relator da Lava Jato abriu 76 inquéritos decorrentes das delações da Odebrecht, a pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

Esta será a segunda vez que os processos são retribuídos entre os ministros. Na primeira leva de inquéritos enviados pelo Ministério Público a divisão também foi necessária.

Na última segunda-feira (17), a presidente do Supremo, a ministra Cármen Lúcia, já determinou que fosse criada uma força-tarefa no gabinete de Fachin para acelerar o andamento dos processos.

“O Supremo Tribunal Federal julgará os processos da Lava-Jato que são de sua competência independentemente de qualquer percalço ou tentativa de atraso, honrando a responsabilidade jurídica e a importância histórica que a guarda da Constituição lhe confere”, declarou Cármen Lúcia, por meio de sua assessoria.

Leia também: 'Serei candidato para ganhar, não para perder', diz Lula

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS

X