Meteorologia

  • 19 OUTUBRO 2019
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Loja devolve dinheiro de móveis após morte de bebê e atitude emociona

"É o mínimo que a gente pode fazer", diz a criadora da Ameise Design, Luciana Raunaimer

Loja devolve dinheiro de móveis após morte de bebê e atitude emociona
Notícias ao Minuto Brasil

08:44 - 14/12/17 por Notícias Ao Minuto

Brasil Viral

Uma história conquistou internautas nas últimas semanas, quando uma loja de móveis se ofereceu para ajudar uma mãe, Renata Senise, de 33 anos, que perdeu sua filha dez dias após o nascimento.

A arquiteta responsável pelo projeto ofereceu duas alternativas para desfazer o quarto da filha: a desmontagem e devolução do dinheiro ou a desmotagem e a remodelagem para quando a família desejasse. Isso, sem cobrar nada. Renata optou pela retirada e devolução dos móveis.

"Abrir a porta (do quarto) e sentir aquele cheiro me desmontou inteira. Segurei o choro no fundo da garganta. Um dos moços que veio foi o mesmo que montou tudo pra mim. E eu vi neles uma tristeza de estarem fazendo isso. Eles foram a gentileza em pessoa", disse. "No meio desse mundo frio, duro e egoísta, vejo cores e bondade e amor", completou.

Em entrevista ao UOL, Luciana Raunaimer, criadora da Ameise Design, informou que não há uma política expressa da empresa para casos como esse, mas que o auxílio no período pós-venda é oferecido.

"É o mínimo que a gente pode fazer, não é nada extraordinário. Pra gente é normal: se não tem um bebê, o que você vai fazer com o berço? Quer devolver, quer guardar, como a gente pode te ajudar? A perda é muito dolorosa e, além de tudo, ter que pensar 'como que eu vou desmontar esse berço', 'onde que eu vou guardar' já é demais", afirma.

Como cada família lida com o luto de forma diferente, a loja não aborda os clientes de forma direta. "A gente só faz isso também se existe uma abertura, se alguém nos aciona. Não vamos ligar para cliente para falar 'oi, tudo bem? Quer desmontar seu quarto?'. A gente toma muito cuidado, porque é uma fase muito sensível. Não consigo nem imaginar o que é perder um filho", diz.

Apesar da loja não ter divulgado a medida "humana", seguidores enaltecem a atitude da loja nos últimos posts da empresa no Facebook, com comentários positivos e  'parabéns'. 

Notícias ao Minuto

"Estamos muito felizes pelo reconhecimento, mas, ao mesmo tempo, é uma situação superdelicada. A gente não se sente confortável de divulgar (a história na página)", afirmou Luciana.

Confira o relato da mãe, publicado no último dia 30 no Facebook. 

 

Leia também: FAB trabalha no resgate de família morta em acidente aéreo

Campo obrigatório