Meteorologia

  • 15 JULHO 2019
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 15º

Edição

Bolsa falha em fechar acima dos 100 mil pontos pelo segundo dia

Pressão de baixa veio dos papéis do setor bancário, com forte peso no índice, enquanto Petrobras e Vale limitaram as perdas

Bolsa falha em fechar acima dos 100 mil pontos pelo segundo dia
Notícias ao Minuto Brasil

04:56 - 20/03/19 por Folhapress

Economia Ibovespa

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Pelo segundo dia consecutivo, a Bolsa brasileira testou a marca histórica de 100 mil pontos durante o pregão nesta terça-feira (19). E novamente, o mercado não sustentou o ganho, afetado pela piora no cenário externo. O dólar fechou perto da estabilidade.

O Ibovespa, principal índice acionário do país, perdeu 0,41% e encerrou o dia a 99.588 pontos. Na máxima, registrou 100.438 pontos. O giro financeiro foi de R$ 17,710 bilhões.

A pressão de baixa veio dos papéis do setor bancário, com forte peso no índice, enquanto Petrobras e Vale limitaram as perdas.

De pano de fundo, o mercado aguarda para esta quarta-feira (20) o envio da proposta de reforma da Previdência dos militares. Durante a manhã, o general Hamilton Mourão, no posto de presidente interino enquanto Jair Bolsonaro viaja, afirmou que o projeto deveria trazer economia de R$ 13 bilhões.

Ele voltou atrás ao final do dia, mas se recusou a falar em outro valor.

+ Brasil e EUA se comprometem a reduzir barreiras comerciais

Analistas citaram ainda como motivos para a baixa desta terça a expectativa pela reunião do Fed (Federal Reserve, o banco central dos Estados Unidos), que decide nesta quarta a nova taxa de juros americana.

O Banco Central brasileiro toma a mesma decisão nesta quarta, com expectativa de manutenção da Selic nos atuais 6,50%.

No exterior, as Bolsas americanas fecharam perto da estabilidade.

O dólar cedeu 0,05%, a R$ 3,7900, segundo a tendência do exterior, que foi de valorização de divisas emergentes.

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório