Meteorologia

  • 15 OUTUBRO 2018
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 15º

Edição

Trio acusado de matar Vitória Gabrielly discute em delegacia em SP

O trio aguardava a transferência para o presídio de Tremembé (SP) quando a confusão começou

Trio acusado de matar Vitória Gabrielly discute em delegacia em SP
Notícias ao Minuto Brasil

11:51 - 21/07/18 por Notícias Ao Minuto

Justiça briga

A prisão dos três acusados de matar a adolescente Vitória Gabrielly, de 12 anos, ganhou mais um capítulo nessa sexta-feira (20). O servente de pedreiro Júlio César de Lima Erguesse e o casal Bruno Marcel de Oliveira e Mayara Borges de Abrantes iniciaram uma discussão que durou cerca de três minutos e meio na Delegacia Seccional de Sorocaba (SP). A conversa foi gravada pelo repórter cinematográfico da TV TEM Gabriel Torres.

O trio aguardava a transferência para o presídio de Tremembé (SP) quando a confusão começou. Conforme gravado nas imagens, o casal alegavam inocência, chorava e, em determinado momento, insistiu para qe Júlio falasse sobre a acusação. Eles estavam em celas diferentes, mas lado a lado.

+ Agentes de trânsito cobram R$ 2 mil de vítimas e são presos em Belém

Confira trechos da conversa entre os três acusados:

Bruno: A gente está orando todos os dias por essa criança.

Mayara: A gente nunca foi na cidade [Araçariguama], já foi provado isso. Sou inocente e vou provar a minha inocência. Fica tranquilo, meu amor. Fala aí, Júlio, o que você tem para falar, pelo amor de Deus! Olha o que você fez com a nossa vida, você tem filha, queria que fizesse isso com a sua filha? Mostra quem fez isso com você, meu Deus! Você está colocando nós, inocentes, na cadeia. Você está fazendo a minha família sofrer por uma coisa que eu não fiz. Abre a boca, conta quem fez isso, Júlio! Você não vai morrer, ninguém vai matar a sua família. Fala o verdadeiro culpado, eu te imploro! Eu não aguento ficar presa por uma coisa que eu não fiz. Eu te imploro, põe a mão na consciência, você sabe que não foi a gente. [chora e repete frases]

Bruno: E aí, Júlio?

Júlio: Fala, Bruno!

Bruno: É isso que você quer para a nossa vida, Júlio?

Júlio: Lógico que não, cara!

Bruno: Então fala a verdade!

Mayara: Foi 'nós', Júlio? É isso que você quer para a vida de quem te tratava igual irmão? Fomos nós?

Júlio: Não sei, cara.

Bruno: É ‘nós’ que estava com você? Você me viu na sexta-feira, Júlio?

Júlio: Na sexta-feira?

Bruno: É, Júlio!

Júlio: Nós ‘tava’ na vila!

Bruno: Nós ‘tava’ na vila, Júlio?

Júlio: 'Nós 'tava' na vila onde a gente mora.

Bruno: Você me viu na sexta-feira, Júlio?

Júlio: Não, eu te vi quinta-feira quando você estava na obra com nós.

Bruno: Você me viu na quinta-feira! Na sexta eu tava com você? Eu sou seu irmão, eu sou a única coisa que você tem no momento. Você me viu na sexta?

Júlio: Não!

Bruno: 'Foi' eu que 'tava' com você nisso daí? Fala a verdade! Eu 'tô' aqui para proteger você. Eu 'tava' com você? Na sexta-feira eu 'tava' com você, meu irmão? Uma pessoa que sempre te deu carinho, não precisa você falar quem estava com você, Júlio, eu 'tava' com você, Júlio? Fala comigo, Júlio.

Entenda o caso

Após passar oito dias desaparecida, a adolescente Vitória Gabrielly Guimarães Vaz, de 12 anos, foi encontrada morta, no dia 16 de junho, no bairro Caxambu, em Araçariguama (SP). A menina foi vista pela última vez no dia 8 desse mês, quando andava de patins na mesma cidade. Ela foi achada ao lado do equipamento depois de uma denúncia anônima.

Até o momento, já foram presas três pessoas suspeitas de envolvimento na morte de Vitória. São elas o servente de pedreiro Júlio César Lima Ergesse, indiciado por homicídio doloso, e o casal Bruno Marcel de Oliveira e Mayara Borges de Abrantes. Segundo a investigação da polícia, Vitória Gabrielly foi morta por engano.

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório