Meteorologia

  • 25 JUNHO 2019
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 15º

Edição

Alerta: Acne pode ser confundida com outras doenças de pele

Dermatologista Dra. Paola Pomerantzeff dá dicas de como diferenciar as doenças mais parecidas com a acne e explica como é o tratamento de cada uma delas

Alerta: Acne pode ser confundida com outras doenças de pele
Notícias ao Minuto Brasil

07:20 - 22/05/19 por Notícias Ao Minuto

Lifestyle Cuidados

É muito difícil encontrar uma pessoa que não tenha tido sequer um pequeno quadro de acne ao longo da vida. Uma das doenças de pele mais comuns e que atinge a maior parte da população em algum momento da vida, independentemente do sexo e idade, a acne, tem causas variadas.

Mas nem tudo é acne, já que outras doenças de pele têm características semelhantes e tratamentos completamente diferentes. “Existem diversas doenças de pele que podem ser facilmente confundidas com a acne, como a foliculite e a rosácea, mas que precisam ser tratadas de modos diferentes. Por isso, caso você sinta que o quadro acneico está persistindo mais do que deveria, é importante que você consulte um dermatologista imediatamente”, alerta a dermatologista Dra. Paola Pomerantzeff, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

A especialista citou abaixo algumas dessas doenças e como diferenciá-las:

Rosácea: é uma condição que deixa o rosto avermelhado, com pápulas e pústulas que lembram as espinhas da acne. “Porém, a rosácea não apresenta comedões (“cravos”), já a vermelhidão da face é persistente, envolvendo também as bochechas e o nariz, com muitos vasinhos visíveis”, afirma a médica. “Apesar de a rosácea não ter cura, sendo assim necessário o tratamento contínuo da doença, é possível controlar os sintomas e, consequentemente, as pústulas que remetem à acne através de produtos tópicos que visam a diminuição da inflamação”, explica a médica.

Dermatite perioral: é uma inflamação da pele onde surgem erupções vermelhas ao redor da boca, que podem se estender para o queixo, bochechas e nariz. Para diferenciá-la da acne é importante atentar-se ao fato de que, nesta doença, não há a presença de comedões e a pele tende a ficar mais sensível e coçando. “O dermatologista irá prescrever o tratamento dependendo da severidade da doença, que pode incluir antibióticos tópicos e orais e medicamentos imunossupressores de uso tópico, além da suspensão do uso de cremes com corticoides”, afirma a dermatologista.

Queratose pilar: também pode ser confundida com a acne, pois surgem na pele pequenas bolinhas brancas ou vermelhas, que não coçam nem doem, mas deixam o tecido com um aspecto de lixa. No entanto, o que difere a doença da acne é que essas erupções são ásperas e geralmente aparecem na pele seca, principalmente nas costas, coxas, glúteos e na região posterior dos braços. “A queratose pilar normalmente desaparece sozinha depois de determinado tempo. No entanto, se você estiver preocupado com a aparência de sua pele, medidas como hidratação, com uso de cremes à base de ureia e ácido salicílico podem ajudar a amenizar o quadro da doença. Em casos mais extensos e graves, tratamentos com peelings químicos também podem ser indicados”, destaca a especialista. A helioterapia (um pouquinho de sol) também ajuda, segundo a médica.

Hidradenite supurativa: é uma inflamação crônica da pele que se caracteriza pelo surgimento de inchaços e cistos profundos semelhantes a espinhas em regiões como axilas, mamas, virilha, genitais e glúteos. Sem causas bem estabelecidas, a Sociedade Brasileira de Dermatologia considera esta uma doença autoinflamatória, quando acontece geralmente uma resposta inflamatória exagerada, que provoca uma agressão à pele. “Há uma predisposição genética para essa doença e outros hábitos como tabagismo também podem estar envolvidos”, diz a médica. O tratamento da hidradenite varia de acordo com gravidade, mas requer a higiene adequada da área, bem como o uso de antibióticos via oral e tópica, e até mesmo o uso de medicamentos imunossupressores em casos mais graves.

Cloracne: é uma condição rara que surge após o contato com substâncias tóxicas presentes em inseticidas e herbicidas. Os sintomas desta doença incluem a formação de cravos pretos no rosto e em outros lugares do corpo, além do surgimento de manchas cinzas e bolhas na pele. O tratamento pode ser feito com a Vitamina A de maneira tópica.

Acne persistente

Se o seu caso for mesmo de acne, a persistência do quadro acneico pode ser o sinal de que algo ainda mais sério está acontecendo em seu organismo e, para ver sua pele limpa novamente, você precisará tratar esta condição antes. Por exemplo, mulheres que sofrem de síndrome dos ovários policísticos (SOP) geralmente têm acne, mas possuem também outros sintomas relacionados a problemas hormonais, como perda de cabelo, crescimento de pelos na face e acantose nigricans, doença de pele caracterizada por manchas aveludadas e escuras em dobras e vincos do corpo. “Caso você sofra de SOP, tratar a acne não é o suficiente, pois as chances de o problema voltar são grandes. Por isso, é importante que, além de consultar um dermatologista para o tratamento da acne, perda de cabelo e o crescimento exagerado dos pelos, você consulte também um médico que possa tratar a causa, ou seja, a SOP”, diz a médica. Além disso, a acne persistente pode estar relacionada à alimentação, com consumo de alimentos de alto índice glicêmico. Existem diferentes causas para acne e é importante estabelecer qual a causa para iniciar o tratamento mais adequado, finaliza a Dra. Paola Pomerantzeff.

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Apple Store Download Google Play Download

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Brasil Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório