Meteorologia

  • 15 AGOSTO 2018
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 15º

Edição

Ortega lança ofensiva contra reduto da oposição na Nicarágua

Moradores da cidade relatam disparos em diversos bairros

Ortega lança ofensiva contra reduto da oposição na Nicarágua
Notícias ao Minuto Brasil

16:27 - 17/07/18 por Folhapress

Mundo PROTESTOS

Policiais e paramilitares lançaram na manhã desta terça-feira (17) uma grande ofensiva contra a cidade de Masaya, na Nicarágua, principal bastião da onda de protestos contra o regime do presidente Daniel Ortega. Ao menos um policial morreu, segundo a imprensa local.

O foco das forças governista é o bairro de Monimbó, principal reduto dos manifestantes, que se protegem com barricadas e morteiros artesanais. Todos os acessos à cidade estão bloqueados. Masaya tem cerca de 160 mil habitantes e está a 30 km de Manágua.

Moradores da cidade relatam disparos em diversos bairros. Todos os acessos estão bloqueados. Masaya tem cerca de 160 mil habitantes e está a 30 km da capital Manágua.

+ Em recado a Trump, Obama condena 'política do medo'

"Forças antimotim e de choque assediam Monimbó! Que o governo da Nicarágua pare este massacre! Por favor, irmãos de Monimbó, salvem as suas vidas!", escreveu o bispo auxiliar de Manágua, Silvio José Baéz.

"Há disparos por todos os lados, com fuzilaria de diversos calibres, fogo cruzado. Há uma ordem expressa de limpar Monimbó. É o ponto de conflito, que está sendo atacado", disse à Folha o repórter-fotográfico Manuel Esquivel, do jornal La Prensa, que mora na região dos conflitos com a mulher e o filho.

Esquivel diz que, por causa dos disparos, não consegue deixar a casa para trabalhar. "Estou cuidando da minha família."

No fim de semana, uma ofensiva contra a mesma cidade deixou um saldo de ao menos 10 mortos, dos quais 4 policiais, segundo a Associação Nicaraguense Pró-Direitos Humanos (ANPDH). A ONG estima que ao menos 360 morreram durante os protestos, que completam três meses nesta semana.

As marchas começaram contra uma reforma da Previdência que diminuía os benefícios e aumentava contribuições. Diante dos protestos, Ortega recuou, mas a repressão violenta alimentou mais manifestações, desta vez exigindo a renúncia do presidente esquerdista.

O bairro indígena de Monimbó tem um alto valor simbólico para os sandinistas, liderados por Ortega. Em 1979, o bairro virou refúgio dos guerrilheiros de esquerda antes da bem-sucedida investida final contra a ditadura Somoza.

Neste ano, Ortega não conseguiu fazer o tradicional ato comemorativo em Monimbó. A celebração ocorreu na última sexta-feira (13) em outra área de Masaya, sob forte presença policial e com 17 dias de atraso. Com informações da Folhapress. 

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório
Competição
Quer ganhar um
iPhone X no valor de R$ 7.799? Não, obrigado

Notícias ao Minuto
Inscreva-se agora e concorra ao
SMARTPHONE
Mais cobiçado do momento
Complete as 5 etapas para participar
Notícias ao Minuto