Meteorologia

  • 25 MAIO 2022
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

MPF arquiva investigação sobre Michelle Bolsonaro por suposto favorecimento em empréstimos

Michelle usou sua influência para conseguir empréstimos da Caixa Econômica de forma facilitada para amigos

MPF arquiva investigação sobre Michelle Bolsonaro por suposto favorecimento em empréstimos
Notícias ao Minuto Brasil

06:47 - 26/01/22 por Folhapress

Política Família Bolsonaro

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - A Procuradoria da República do Distrito Federal optou por arquivar nesta terça-feira (25) o processo que investigava se a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, usou sua influência para conseguir empréstimos da Caixa Econômica de forma facilitada para amigos.

Em manifestação ao MPF, o banco enviou um ofício negando que tenha existido favorecimento de pessoas próximas à família do presidente Jair Bolsonaro (PL).

Reportagem da revista Crusoé publicada em 2021 implicava tanto Michelle quanto o presidente da Caixa Econômica, Pedro Guimarães, já que a primeira-dama supostamente tratou do tema pessoalmente com ele. O abuso de influência teria acontecido, segundo a reportagem, durante a pandemia da Covid-19.

Em outubro, a Procuradoria da República do DF confirmou que a investigação correria por lá. O MPF, no entanto, explicou que o tema seria apurado dentro do inquérito que já analisava as irregularidades na Caixa.

Um e-mail divulgado pela revista mostrou uma assessora da primeira-dama avisando sobre o envio de "documentos dos microempresários de Brasília que têm buscado créditos a juros baixos". A mensagem ainda fez referência a uma conversa telefônica entre Michelle e Pedro Guimarães sobre o assunto.

A Crusoé disse que a Caixa abriu uma apuração interna depois que o sistema de controle detectou um "fato estranho". A auditoria, ao analisar processos de concessão de empréstimo, identificou a sigla PEP (acrônimo para "pessoa exposta politicamente") e chegou a uma lista de indicações feitas pela primeira-dama, que incluía pessoas próximas a ela, como a dona de uma rede de confeitarias de Brasília.

Segundo a revista, os integrantes da lista aprovados foram enquadrados no Pronampe (Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte) e não há indícios de que os valores liberados extrapolassem os limites previstos pela lei.

Campo obrigatório