Meteorologia

  • 24 OUTUBRO 2017
Tempo
MIN 7º MÁX 7º

Edição

Geddel age contra racha na base aliada às vésperas de votações

Planalto teve de intervir após um polêmica um jantar promovido pelo líder do PTB e postulante ao comando da Câmara, Jovair Arantes

Geddel age contra racha na base aliada 
às vésperas de votações
Notícias ao Minuto Brasil

15:29 - 18/10/16 por Folhapress

Política planalto

O Planalto precisou intervir nesta segunda-feira (17) para evitar um racha na base aliada às vésperas de importantes votações de medidas econômicas na Câmara.

Em uma semana em que o presidente Michel Temer está fora do país e a pauta política tendia a esfriar, virou polêmica um jantar promovido pelo líder do PTB e postulante ao comando da Câmara, Jovair Arantes (GO), com líderes do chamado centrão.

Coube ao ministro Geddel Vieira Lima (Secretaria de Governo) atuar pessoalmente para contornar mal-estar criado durante o dia.

O encontro do centrão, grupo que inclui principalmente PSD, PR, PP, PTB e PRB, estava marcado desde a semana passada, mas, ao longo do dia, ganhou contornos de tentativa do grupo para atrair o apoio do PMDB, partido de Temer e maior bancada da Casa -com 67 parlamentares-, para a candidatura à sucessão de Rodrigo Maia (DEM-RJ).

O Planalto, porém, não gostou. A ordem de Temer é manter a imagem de neutralidade para evitar desagradar a base e comprometer a aprovação de medidas importantes como a que estabelece um teto para os gastos públicos. O segundo turno da votação da emenda à Constituição está previsto para a próxima semana.

Com o vazamento de que a reunião trataria da presidência da Câmara, auxiliares do presidente ponderaram que o PMDB não deveria antecipar a discussão e que o líder do partido na Câmara, Baleia Rossi (SP), poderia comparecer desde que deixasse claro o tema não seria debatido.

Baleia então desistiu de atender ao convite do centrão e marcou encontro informal da bancada peemedebista para discutir as estratégias para a votação da PEC.

O gesto provocou incômodo na base de Temer. "A conotação que se deu não é boa para o momento que estamos vivendo", disse Baleia no início da noite, sobre o encontro do centrão, enquanto rejeitava telefonemas de Jovair.

O líder do PMDB defende que a discussão sobre a sucessão na Câmara seja feita somente após a votação da PEC em segundo turno.

Foi aí que o ministro Geddel Vieira Lima entrou na articulação, após ser procurado por líderes do centrão para ouvir que a pauta do jantar seria apenas a reforma política. O Planalto, então, chancelou a ida de deputados do PMDB ao encontro.

Baleia foi à casa de Jovair acompanhado do irmão de Geddel, Lúcio Vieira Lima (BA). "Me consultaram e eu disse que era inoportuno [discutir a sucessão na Câmara]", disse Geddel.

"Ninguém está patrulhando reunião de deputado, apenas ponderando que é inoportuno discutir isso agora".

Após falar com líderes do centrão e ouvir deles que não seria discutida a sucessão na Câmara, Geddel minimizou a polêmica: "Falei que se quisessem, poderiam ir".

SUCESSÃO

A eleição que vai escolher o substituto de Maia acontecerá em fevereiro do ano que vem. A discussão, porém, já serve de prévia para a corrida presidencial de 2018.

A base do governo tem hoje ao menos seis candidatos. Pelo centrão, aparecem Jovair e de Rogério Rosso (PSD-DF), que perdeu a disputa para Maia em julho. Já pela antiga oposição, despontam Antonio Imbassahy (PSDB-BA) e Carlos Sampaio (PSDB-SP).

Não está descartada eventual tentativa regimental para reeleger Rodrigo Maia, além da candidatura de Heráclito Fortes (PSB-PI).

Lideranças do PMDB e do centrão têm defendido uma tentativa de consenso em torno de um único nome da base, mas avaliam que as divergências internas do PSDB podem dificultar a articulação.

Entre os tucanos, o senador Aécio Neves (MG) e o governador Geraldo Alckmin (SP) disputam a indicação da sigla para a sucessão de Temer. O comando da Câmara é visto por ambos como uma demonstração de força e chance de se cacifar para o posto, já que poderiam facilitar a tramitação de suas bandeiras econômicas. Com informações da Folhapress.

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório