Meteorologia

  • 06 DEZEMBRO 2019
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Jungmann rebate críticas de petistas à atuação da PF

O ministro da Segurança Pública disse que "a PF, tempestiva e objetivamente, cumpre ordens judiciais"

Jungmann rebate críticas de petistas à atuação da PF
Notícias ao Minuto Brasil

21:23 - 08/07/18 por Folhapress

Política Resposta

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, respondeu às críticas de petistas de que a Polícia Federal, sob as ordens de sua pasta, teria evitado cumprir a decisão do juiz federal Rogério Favreto, do TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região), de soltar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva neste domingo (8). 

Jungmann disse que "a PF, tempestiva e objetivamente, cumpre ordens judiciais". Ele negou sua interferência no caso."Qualquer ação minha, numa ou noutra direção, poderia vir a configurar obstrução do devido processo legal", afirmou. "Apenas fui mantido informado e acompanhei os acontecimentos durante seu desenrolar. Nada além disso."

+ 'Mesmo preso, Lula vai ser candidato e ganhar a eleição', afirma Gleisi

Em discurso em São Bernardo do Campo, na sede do Sindicato dos Metalúrgicos, a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, disse que Jungmann devia explicações sobre a atuação da PF no caso."Estamos tentando falar com o ministro Raul Jungmann, que tem muito a explicar sobre a PF. Ele disse que queria cumprir a decisão mas recebeu orientação do Thompson [Flores] para esperar. Que tipo de ministro é esse que recebe orientação de outro desembargador e não cumpre ordem judicial?", questionou a petista.

No discurso, Gleisi afirmou que a PF foi "conivente", "ao adiar a soltura para dar tempo para a manobra" no judiciário. "A polícia enrolou, enrolou, enrolou, disse que a decisão demorou a chegar, que tinha ido pelo sistema errado. E o que aconteceu? O presidente do TRF4, este senhor que conhecemos, deu orientação administrativa para não cumprir a decisão. É absolutamente ilegal o que está acontecendo", disse Gleisi. Com informações da Folhapress.

Campo obrigatório