Meteorologia

  • 16 ABRIL 2024
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Ferramenta de IA aprendeu palavras com a ajuda de um bebê de 1 ano

Estudo realizado por uma equipa de investigadores da Universidade de Nova York

Ferramenta de IA aprendeu palavras com a ajuda de um bebê de 1 ano
Notícias ao Minuto Brasil

05:25 - 03/02/24 por Notícias ao Minuto Brasil

Tech Inteligência Artificial

Uma equipe de investigadores da Universidade de Nova York estudou gravações diárias de um bebê, durante o seu primeiro ano de vida, para entender como é que funciona o processo de aprendizagem da linguagem dos seres humanos.

De acordo com o El País, a experiência não só confirmou a ligação entre a representação visual e linguística – o que vê e a palavra a que corresponde – como contribuiu para o desenvolvimento de um modelo de Inteligência Artificial (IA), que reconhece diferentes objetos de uma maneira muito semelhante à forma como as crianças o fazem.

Para isso, os investigadores analisaram 61 horas de vida de Sam, um menino australiano que durante um ano e meio - dos seis aos 25 meses - usou um capacete com uma câmera que registava as interações que ele tinha com os pais e avós diariamente.

Apesar de ter ficado registado apenas 1% do tempo em que estava acordado, foram captadas centenas de imagens que reproduzem exatamente o que a criança via, acompanhadas de expressões linguísticas dos seus familiares, que explicaram a natureza dos objetos que a rodeavam.

"Por exemplo, durante a refeição, a câmera registou a imagem de uma colher, enquanto a mãe de Sam lhe perguntava algo relacionado com aquele utensílio", explicou Wai Keen Vong, especialista em psicologia e ciência da computação, que coordenou o estudo, publicado recentemente na revista Science.

Após observar o comportamento da criança, os investigadores confirmaram que ela aprendeu o significado das palavras ao relacioná-las com o estímulo visual, ou seja, ao relacionar a imagem com as palavras que os seus familiares lhe repetiam.

Perante isso, passaram para uma segunda fase da experiência: verificar se a IA seria capaz de aprender a reconhecer objetos da mesma forma que Sam.

O modelo de inteligência artificial, denominado CVCL (Child’s View for Constrastive Learning), foi assim treinado em 64 categorias visuais - utensílios, brinquedos, animais, entre outros – e a transcrição do que Sam ouvia enquanto olhava para estes objetos.

Depois de criada a base de dados, os investigadores começaram a testar para ver se a ferramenta de IA era capaz de identificar as imagens. "Descobrimos que o CVCL pode aprender a fazer conexões entre imagens e textos a partir de fragmentos limitados da experiência de uma única criança", concluiu o estudo, segundo a revista Science.

Os resultados confirmam assim a "hipótese de que com apenas dois impulsos, que são o que a criança vê e o que ela ouve, é possível alcançar e acelerar esse tipo de aprendizagem", de acordo com Wai Keen Vong.

Apesar disso, o estudo tem algumas limitações, uma vez que é preciso ter em conta que o CVCL foi treinado com gravações de uma única criança e aprendido por meio de transcrições de fala, em vez de fala direta, que omite nuances importantes como a entoação e o ênfase.

"É necessário lembrar que a aprendizagem do modelo foi passiva, baseada em gravações, sem interação ativa com o ambiente, o que é diferente de como as crianças aprendem em ambientes reais", reconheceram os autores do estudo.

Campo obrigatório