Meteorologia

  • 23 FEVEREIRO 2019
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 15º

Edição

Brasil terá mil novos serviços 100% digitais em 2 anos, diz governo

Afirmação é do secretário de Tecnologia da Informação e Comunicação do governo federal, Luis Felipe Salin Monteiro

Brasil terá mil novos serviços 100% digitais em 2 anos, diz governo
Notícias ao Minuto Brasil

16:03 - 12/02/19 por Folhapress

Tech TECNOLOGIA

De acordo com o secretário de Tecnologia da Informação e Comunicação do governo federal, Luis Felipe Salin Monteiro, o Brasil deverá ter, nos próximos 24 meses, mil novos serviços 100% digitais, ou seja, em que a presença física do cidadão numa agência do governo não é necessária.

A afirmação foi feita durante o evento da área de tecnologia, na manhã desta terça-feira (12), em São Paulo.

O país presta, segundo o secretário, cerca de 3 mil serviços diferentes aos cidadãos. Aproximadamente 30% deles são digitalizados, segundo o secretário -ou seja, na casa de 2 mil são realizados presencialmente.

Em serviços se incluem, por exemplo, emissões de CNH e recebimento de benefícios do INSS.

Algo que deve ser 100% digitalizado, segundo o secretário, é a abertura de novas empresas. "[O processo] não deve levar mais de 2h", disse Monteiro.

+ Devemos pensar nas consequências das tecnologias, diz CEO da Microsoft

+ Campus Party abre 12ª edição em São Paulo

Entre as novidades deve estar também a criação de uma identidade digital. Ela se aproveitará dos dados de biometria coletados do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) para poder verificar que um cidadão físico é mesmo quem ele diz ser no mundo virtual.

No evento, ele disse que o Brasil está atrasado no processo de digitalização em relação ao cenário internacional e que, por isso, deve acelerar.

"Nós queremos, uma economia dinâmica fortemente baseada em dados", afirmou o secretário, que diz que a iniciativa deve agilizar o serviço público.

Algumas das soluções adotadas pelo Governo Federal usam de parcerias com a empresas privadas para o tratamento de dados dos cidadãos. É o caso de uma ferramenta que usou sistemas de inteligência artificial da Microsoft para cruzar dados de pessoas em situação de vulnerabilidade social com vagas de emprego.

Outro, ainda em desenvolvimento em conjunto com a gigante de tecnologia, é um robô de atendimento para consulta de informações do INSS. Para atender a população, a máquina precisaria ter acesso a dados pessoais -e, assim, poder informar quando o usuário receberia um benefício, por exemplo.

À reportagem, o secretário explicou que o uso de tecnologia de terceiros é normal por parte do governo, mas que os dados de cidadãos não vão para essas empresas. Ficam todos armazenados exclusivamente em sistemas próprios. Com informações da Folhapress. 

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório