Meteorologia

  • 22 MAIO 2024
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Hotmail, Yahoo e BOL: quem ainda usa esses e-mails precisa ter cuidado

Para alguns, manter em atividade domínios mais antigos, como Yahoo, Hotmail, BOL, UOL e AOL, é algo "cringe" - ou seja, causa vergonha.

Hotmail, Yahoo e BOL: quem ainda usa esses e-mails precisa ter cuidado
Notícias ao Minuto Brasil

12:24 - 16/04/24 por Estadao Conteudo

Tech E-mail

Na era das redes sociais e das plataformas digitais, é impossível estar na internet sem uma conta de e-mail. Mais do que uma forma de contato, ela se tornou o passaporte para entrar em serviços e aplicativos que exigem um login. Uma publicação no X (antigo Twitter) dividiu as opiniões de usuários sobre as preferências por serviços de e-mail. Para alguns, manter em atividade domínios mais antigos, como Yahoo, Hotmail, BOL, UOL e AOL, é algo "cringe" - ou seja, causa vergonha.

Famosos nos anos 2000, esses nomes clássicos, aos poucos, foram perdendo terreno para rivais como o Gmail, do Google, e o Outlook, que se tornou a nova versão da caixa de mensagens da Microsoft.

No entanto, Yahoo, Hotmail e outros ainda mantêm seus encantos. No time de quem prefere os domínios mais antigos está Simone Parpinelli, professora de inglês de 53 anos. A paulistana tem o mesmo e-mail do provedor Yahoo desde que tinha 23 anos. Ou seja, já são 30 anos com o mesmo endereço. "Para mim, o Yahoo dá um conforto, os outros vão mudando muito. O Yahoo fica sempre o mesmo, eu já me acostumei, acho mais fácil de visualizar."

Simone não está sozinha. A estudante Beatriz Gabrielly Alves, 25 anos, tem uma conta Hotmail desde 2008, época em que era criança. "Ainda é meu e-mail principal. Qualquer coisa que eu tenho de resolver, uso esse e-mail", diz. "Eu também tenho uma conta Gmail, só para usar o Drive e os outros serviços do Google. Mas de resto uso o Hotmail mesmo. É costume. Todas as minhas redes sociais estão ligadas a esse e-mail, então seria trabalhoso trocar tudo."

Victor Momesso, biólogo de 23 anos, cita os mesmos motivos. "Tenho a minha conta do Yahoo desde 2010. Uso esse mesmo e-mail para acessar os serviços do Google Drive, e minha conta da PlayStore também está vinculada a ele."

Vulnerabilidades

Embora seja conveniente manter o mesmo e-mail por anos, é preciso ter cuidado. De acordo com levantamento da empresa de cibersegurança Think IT, vulnerabilidades e ações de hackers podem ser mais comuns em e-mails antigos, principalmente pela grande quantidade de dados armazenados ao longo do tempo. Ou seja, as contas não estão em risco por si só, mas podem oferecer um menu mais apetitoso de dados para cibercriminosos.

"Os domínios de e-mails mais modernos evoluíram em termos de tecnologia de proteção. Hoje, você tem e-mails que já fazem uma verificação automática em arquivos, para analisar se há algum tipo de malware, por exemplo", diz Marcos Parra, diretor comercial de Segurança da Informação da Think IT. "Nos e-mails mais antigos, não tem como habilitar essa funcionalidade."

Além disso, há mais chances de e-mails antigos terem sido alvos de vazamentos - principalmente caso a senha não seja alterada com frequência. Segundo a Think IT, em 2021, o Yahoo foi hackeado e 3 bilhões de contas foram comprometidas. Pelo mesmo motivo, em 2013, 120 milhões de contas do AOL também ficaram expostas. Em 2022, uma vulnerabilidade no UOL permitiu que hackers acessassem contas de e-mail sem senha. Em 2020, uma falha no Yahoo Mail também foi explorada por hackers.

Procurados Yahoo, AOL e UOL, que também administra o BOL, não se manifestaram.

Seja qual for o provedor, é importante garantir que os dados estejam seguros com uma senha forte. Outra dica é observar como as mensagens de spam estão sendo evitadas na sua caixa de entrada. Se muitos e-mails suspeitos estiverem indo direto para sua página principal, talvez seja hora de trocar para um provedor com mais capacidade de filtrar e analisar esse tipo de mensagem. Isso também vale para mensagens de phishing (e-mails que tentam enganar os usuários), geralmente com uma promoção imperdível ou um golpe bancário.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Leia Também: Musk nega reportagem sobre desistência da Tesla de carro de baixo custo

Campo obrigatório