Meteorologia

  • 01 JUNHO 2020
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Desemprego aumentou em 12 estados com avanço do coronavírus

O Brasil terminou o primeiro trimestre deste ano com 1,218 milhão de pessoas a mais na fila do desemprego

Desemprego aumentou em 12 estados com avanço do coronavírus
Notícias ao Minuto Brasil

09:59 - 15/05/20 por Folhapress

Economia Crise

SANTOS, SP (FOLHAPRESS) - O desemprego aumentou em 12 estados do Brasil durante o primeiro trimestre de 2020, período em que começaram os efeitos da chegada do novo coronavírus ao país, segundo divulgou nesta sexta-feira (15) o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).Nas outras 15 unidades da federação, a taxa de desocupação permaneceu estável na comparação com o último trimestre de 2019.

O Brasil terminou o primeiro trimestre deste ano com 1,218 milhão de pessoas a mais na fila do desemprego. Com o avanço no número de desempregados, a taxa de desocupação avançou para 12,2%.A população desocupada foi de 11,632 milhões, no último trimestre de 2019, para 12,850 milhões nos três meses de 2020, segundo a Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), do IBGE.

A alta no período foi de 10,5%.O primeiro caso conhecido de Covid-19 no Brasil ocorreu em 25 de fevereiro. No mês seguinte, o país começou a sentir os efeitos econômicos do novo coronavírus, com decreto de quarentena em estados e municípios, o que causou o fechamento de bares, restaurantes e comércio como forma de evitar o avanço da pandemia.D

esde então, as maiores altas no desemprego foram observadas no Maranhão, que subiu 3,9 pontos percentuais, no Alagoas, com 2,9 ponto percentual a mais que no trimestre anterior, e no Rio Grande do Norte, com alta de 2,7 ponto percentual. As maiores taxas foram observadas na Bahia (18,7%), Amapá (17,2%), Alagoas e Roraima (16,5%),Segundo o IBGE, o desemprego avançou em diversos segmentos da sociedade no trimestre encerrado em março de 2020.

Entre as pessoas que se declararam pretas e pardas, a taxa passou de 13,5% e 12,6%, no quarto trimestre do ano passado, para, respectivamente, 15,2% e 14%. Já entre as brancas subiu de 8,7% para 9,8%.Entre os jovens de 18 a 24 anos de idade, o desemprego passou de 23,8%, no último trimestre de 2019, para 27,1% no trimestre encerrado em março.

Veja também: Bolsonaro barra motoristas de apps em vetos à ampliação do auxílio

Campo obrigatório