Meteorologia

  • 19 JULHO 2019
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 15º

Edição

Justiça aprova plano de recuperação de dona do Estaleiro Rio Grande

Recuperação foi aprovada por credores em junho, como saída para lidar com dívida de R$ 7 bilhões

Justiça aprova plano de recuperação de dona do Estaleiro Rio Grande
Notícias ao Minuto Brasil

17:32 - 20/08/18 por Folhapress

Economia dívida por 20 anos

A juíza Fabiana Baldino, da 2ª Vara Cível de Rio Grande, homologou na sexta (17) o plano de recuperação judicial da Ecovix, proprietária do Estaleiro Rio Grande. O plano foi aprovado pelos credores em junho, como saída para lidar com dívida de R$ 7 bilhões.

O plano prevê o alongamento da dívida por 20 anos, com desconto de 76% nos créditos de credores sem garantia, e a busca por um sócio para tentar retomar as operações na unidade industrial de Rio Grande, cerca de 330 km ao sul de Porto Alegre, que já empregou até 12 mil pessoas.

+ Negociar precatório pode ser vantajoso, mas exige cuidados

"É mais um passo na nossa retomada", afirmou, em nota, o diretor operacional da Ecovix, Ricardo Ávila. As instalações do estaleiro serão separadas em uma unidade isolada, que será oferecida ao mercado. Os recursos da venda serão usados para pagar as dívidas.

"Entendemos que possíveis investidores, com quem temos avançado nas conversações, se sintam mais confortáveis em desenvolver seus projetos em parceria com a empresa [após a homologação pela Justiça]", disse Ávila.

A crise do estaleiro teve início após a descoberta do esquema de corrupção investigado pela Operação Lava Jato, que levou ao cancelamento de encomendas de plataformas pela Petrobras. O estaleiro também é alvo da Operação Greenfield, que apura fraudes em fundos de pensão estatais.

O plano de recuperação prevê a emissão de títulos de dívida para os atuais credores. Aqueles que não têm garantia terão desconto de 76% no valor dos créditos. Para os outros, não está previsto desconto, caso decidam apoiar financeiramente a nova empresa que será criada no processo de recuperação.

Com voto contrário à aprovação do plano em junho, Banco do Brasil e Caixa têm, juntos, créditos de R$ 320 milhões, referentes a empréstimos do Fundo de Marinha Mercante. A proposta previa que as duas instituições continuassem emprestando recursos.

O plano de recuperação prevê o ingresso nas atividades portuária, com o uso de parte da estrutura para a construção de terminais, reparos de plataformas e embarcações e processamento de aço para a indústria metalmecânica.

O estaleiro Rio Grande foi inaugurado pelo então presidente Lula em 2010, como parte de uma política de nacionalização das encomendas de plataformas e sondas da Petrobras. 

Ganhou da estatal contratos de US$ 3,5 bilhões (cerca de R$ 13,2 bilhões pela cotação atual) para a construção de plataformas. 

Da Sete Brasil, criada na mesma época e hoje também em recuperação judicial, recebeu contratos de US$ 2,4 bilhões (R$ 9 bilhões) para a construção de sondas de perfuração de poços petrolíferos. Com informações da Folhapress.

PARTICIPE: Campanha do Notícias ao Minuto dá iPhone X de R$ 7.799

Campo obrigatório