Meteorologia

  • 15 DEZEMBRO 2018
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 15º

Edição

Caso Taina: jovem diz que saiu de casa porque era agredida pelo ex

A jovem enviou um vídeo para o G1 dizendo que fugiu de casa porque quis e, ainda, acusou o companheiro, Raul Kennedy da Silva, de traição e agressão

Caso Taina: jovem diz que saiu de casa porque era agredida pelo ex
Notícias ao Minuto Brasil

07:57 - 08/12/18 por Notícias Ao Minuto

Justiça Pilar do Sul

O caso Taina Queiroz, 18 anos, que foi, supostamente, sequestrada por Luis Fernando Lourenço, ex-patrão do marido, juntamente com a filha, de apenas 8 meses, ganhou mais um capítulo nessa sexta-feira (7). A jovem enviou um vídeo para o G1 dizendo que fugiu de casa porque quis e, ainda, acusou o companheiro, Raul Kennedy da Silva, de traição e agressão. As duas estavam desaparecidas desde o dia 3 de novembro e foram encontradas no último dia 1º, em Pilar do Sul (SP), depois de uma denúncia e da prisão de Luis. 

A criança estava sob os cuidados do Conselho Tutelar depois do inquérito policial de subtração de incapaz. Na quarta-feira (5), Raul teve o pedido de guarda da menina negado pela Justiça. Além de querer ficar com a garota, ele pretendia tirá-la do abrigo.

+ Sobe para 14 número de mortos em assalto a bancos no Ceará

Na gravação feita por Taina, ela afirma que quem a ama é Luis Fernando e que vai lutar para ficar com a filha, além de denunciar agressões e traição de Raul. Nas imagens, a jovem também garante que não foi sequestrada. Ainda não se sabe quando o vídeo foi gravado.

Um outro vídeo, também enviado para a reportagem, aparecem Luis Fernando, Taina e a filha dentro de um carro antes de ele ser preso. "Não sou o sequestrador, ou o herói da Taina e da filha dela", afirma. Raul foi procurado pelo G1 para se pronunciar sobre as acusações de Taina, mas não foi encontrado. A Polícia Civil afirmou que não há nenhum boletim de ocorrência contra ele por agressão.

Depoimento de Taina

"Estamos esperando a jovem retornar para a cidade e a criança ser liberada do conselho ao pai ou para Taina. Ainda não temos posição sobre isso. Assim que eu ouvi-la poderemos entender e ter oficialmente se ela fugiu ou foi ameaça. Mas continuamos com a mesma linha de investigação de que não se tratou de um sequestro porque não houve pedido de resgate e nem provas de cárcere privado", afirmou o delegado Acácio Leite.

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório