Meteorologia

  • 27 JUNHO 2022
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Porto Alegre tem seu 3º dia mais quente da história

11 cidades do RS batem 40ºC

Porto Alegre tem seu 3º dia mais quente da história
Notícias ao Minuto Brasil

21:36 - 17/01/22 por Folhapress

Brasil Clima

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - Porto Alegre registrou no domingo (16) o dia mais quente do ano -e a sua terceira maior temperatura da história. Os termômetros na cidade chegaram a marca máxima de 40,1 ºC.

O calor não ficou, no entanto, restrito à capital gaúcha, e o estado do Rio Grande do Sul teve ao menos 11 municípios ultrapassando os 40 ºC. Entretanto, de acordo com a previsão do tempo, o calor foi amenizado nesta segunda-feira (17) com a chegada de uma frente fria.

Até domngo, a maior temperatura do ano em Porto Alegre foi registrada no dia 14 de janeiro, com 37,8 °C. Segundo a Climatempo, essa é a terceira vez que os termômetros da capital gaúcha registram temperaturas na marca dos 40 °C.

A última vez foi no dia 31 de dezembro de 2019, quando a temperatura alcançou a marca de 40,3 °C. As medições são feitas na estação meteorológica do Jardim Botânico, pelo Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), que começou a registrar as temperaturas da cidade em 9/12/1909.

O forte calor também foi sentido em cidades do interior. A cidade de Uruguaiana, que fica na fronteira com a Argentina, registrou a maior temperatura do estado neste ano, com 41,8 °C.
Até então, a maior temperatura tinha sido registrada na cidade de Quaraí no dia 12 de janeiro, quando os termômetros marcaram 41,5 °C. No domingo, a cidade registrou 41,2 °C, ocupando a terceira posição do dia. À frente, ficou Teutônia, com 41,7 °C.

Campo Bom também registrou altas temperaturas, chegando a marca de 41,0 °C, seguida por Rio Pardo (40,8 °C), São Gabriel (40,6 °C), Alegrete (40,5 °C), Santa Maria (40,2 °C), Porto Alegre (40,1 °C), São Vicente do Sul (40,1 °C) e São Luiz Gonzaga (40,1 °C). No momento, uma onda de calor rara atinge as cidades gaúchas, além de regiões da Argentina, do Uruguai e do Paraguai.

A chegada de uma frente fria já nesta segunda causou o aumento da nebulosidade e pancadas de chuva. No entanto, apesar da mudança, a previsão é que os próximos dias ainda sejam quentes e abafados.

Mais de 200 municípios do Rio Grande do Sul decretaram situação de emergência devido a uma estiagem que assola o estado desde o ano passado.

À reportagem, a Seapdr (Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural) informou que, de acordo com dados do Emater, haviam 195 mil propriedades rurais atingidas com perdas referentes à estiagem e 10,2 mil famílias sem acesso à água ao fim da primeira semana deste ano.

A falta de precipitações no Rio Grande do Sul está ligada à incidência do fenômeno La Niña, que provoca chuvas irregulares e mal distribuídas no estado.

Campo obrigatório