Meteorologia

  • 01 DEZEMBRO 2021
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Atores de 'Sombra e Ossos' comemoram diversidade na série

A série "Sombra e Ossos" estreia nesta sexta-feira (23) na Netflix

Atores de 'Sombra e Ossos' comemoram diversidade na série
Notícias ao Minuto Brasil

08:51 - 22/04/21 por Folhapress

Cultura Netflix

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um mundo em que pessoas normais podem ter habilidades especiais, como o poder de curar feridas ou fazer alguém sangrar à distância, sem precisar tocá-la. Assim é o universo da série "Sombra e Ossos", que estreia nesta sexta-feira (23) na Netflix.

A série foi criada por Eric Heisserer, indicado ao Oscar de roteiro adaptado em 2017 por "A Chegada", com base nos livros da autora Leigh Bardugo -vendidos no Brasil pela editora Planeta. Os episódios juntam personagens criados por ela na trilogia original e também nos livros da saga "Six of Crows", cuja história se desenrola no mesmo ambiente.

A trama mostra um mundo com diversos países, cada qual com suas especificidades, divididos por diferenças políticas e, literalmente, por uma fenda. O espaço é dominado pelas sombras e por monstros perigosos.

Em meio a uma expedição ao local, a órfã Alina Starkov (Jessie Mei Li) descobre ter o poder de manipular a luz. Ela é convocada pelo exército dos grishas (os que têm poderes especiais) para lapidar seu dom, que é raríssimo entre eles.

Só que ela é tão extraordinária que acaba se tornando objeto de cobiça entre os poderosos e meliantes de todos os lados. Nesse segundo grupo estão os carismáticos trapaceiros Kaz, Jesper e Inej, que se apelidam de "corvos" e protagonizam a segunda série de livros.

Eles são interpretados, respectivamente, pelos britânicos Freddy Carter e Kit Young e pela nepalesa Amita Suman. O primeiro é o líder e quem recruta os outros dois para ajudá-lo em sua mais nova missão.

"Kaz é um criminal em ascensão em Ketterdan [um dos países do livro]", diz Carter em entrevista ao F5. "Ele tem sede de vingança, mas também tem um coração de ouro escondido embaixo dessa capa, mesmo que ele se recuse a mostrá-lo."

Para o papel, no qual ele aparece fazendo truques de ilusionismo, Carter teve a ajuda de um mágico. "Foi incrível, passei horas vendo ele fazer truques com moedas e de manipulação com as mãos", lembra. "Porém, quando coloquei as luvas características do personagem percebi que era muito mais difícil de fazer. Foi bem trabalhoso, mas também muito divertido."

Já Jesper é perito em armas de fogo, tendo uma mira apurada e uma rapidez para disparar que não faria feio no Velho Oeste. Enquanto isso, Inej é cirúrgica no uso de facas e outros objetos pontiagudos, além de ter a habilidade de sumir e reaparecer de qualquer espaço sem que ninguém perceba.

No primeiro livro nenhum personagem era descrito como tendo uma raça específica, mas nas obras de continuação isso foi modificado pela autora, sendo Jesper negro e Inej parda. Na série, as características deles foram mantidas, enquanto a de outros personagens ganharam diversidade -a protagonista Alina é interpretada por uma descendente de chinês.

"É maravilhoso ver mais diversidade representada, nós queremos sempre mais e mais, e mais", diz Young. "Fico igual a uma criança brincando por estar interpretando um personagem que já era para ser parecido comigo, e que alguém em algum lugar decidiu que eu era a pessoa certa para fazer.

Foi uma escolha incrível da série mostrar as pessoas como elas são."

"A série celebra a diversidade normalizando-a", concorda Suman. "Não é algo forçado só para parecer diverso. É muito especial ter um papel feito realmente para você e que ninguém mais poderia fazer. Espero que essa celebração mostre às pessoas que a representatividade é importante."

A atriz também espera que isso abra novas portas para ela na profissão. "Entrei nesta indústria achando que só poderia interpretar alguns papéis específicos, regionais, e esse não foi o caso", revela. "Espero que não seja também para as pessoas que vierem depois."

Na entrevista à Folha de S.Paulo, os três confessaram que só leram os livros -que são best-sellers em diversos países- depois de começarem a pesquisar para os papéis na fase de seleção.

"Eu sabia da existência dos livros, mas não sabia sobre o que era nem o que eram grishas", lembra Carter. "Li quando fui para a audição e, depois de apenas algumas linhas, eu já estava viciado."

Young diz que teve uma experiência semelhante à do colega. "Não tinha lido, provavelmente porque estava morando debaixo de uma pedra", diz, em tom de brincadeira. "Depois que peguei o papel, li tudo em duas semanas. Foi o mais rápido que já li na vida, virei fã."

Suman também foi na mesma linha. "Quando fiz a minha primeira audição e li a descrição da personagem, eu fiquei imediatamente intrigada", diz. "Quando estava disputando o papel, pensei em ler um par de capítulos e depois terminar, mas acabei lendo tudo de uma só sentada. Virei fã número 1 instantaneamente de Inej, mesmo antes de fechar o trabalho."

Com os livros tão conhecidos, eles contam que ficaram com receio de como os fãs da saga receberiam a série. "Mas foi só um pouquinho", afirma Carter. "Ter uma base de fãs tão apaixonada é tudo o que você pode querer. Eles estão superanimados para assistir, então nós também estamos."

Já Young e Suman afirmam que ficaram impressionados, porque ainda não haviam tido tanta exposição na vida profissional. "Nunca tinha estado em um trabalho em que estivesse sendo tão observado, porque os fãs são muito atuantes e se importam muito com os personagens", disse o ator. "Às vezes eles ficam brigando entre eles, e tenho que me segurar para não entrar no Twitter e opinar (risos)."

Ele diz, no entanto, que é normal que parte deles fiquem desconfiados no começo. "Lembro de algumas pessoas reclamando porque tinham imagens muito formadas de como eram os personagens para eles", diz. "Eu só posso dizer que estou honestamente tentando fazer o melhor possível."

A colega afirma que percebeu a paixão dos fãs logo que foi escalada. "Comecei a ver um monte de publicações com o meu nome nas redes sociais, algo ao qual eu não estava acostumada", diz. "Comecei a receber um monte de notificações e fiquei pensando: 'Ué, quem está tuitando sobre mim?'. Já eram os fãs."

"Eu achei que tinha feito algo errado, porque não contara a ninguém que havia conseguido o papel", relembra. "Foi a minha primeira experiência de pensar: 'Uau, essas pessoas são realmente apaixonadas pelos livros'. Para mim, foi uma delícia descobrir que a base de fãs era tão real e estava comprometida, o que me deu muita energia."

Dito isso, eles estão preparados para a estreia, mesmo que com frio na barriga. "Tem sido uma longa jornada, estamos esperando já faz um tempinho", resume Young. "Queremos que as pessoas que não conhecem os livros gostem da série, assim como os fãs dos livros. Vai ser interessante ver a resposta de todos. Estamos animados, mas agora também nervosos."

Campo obrigatório