Meteorologia

  • 20 OUTUBRO 2019
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Família de mulher morta durante blitz da PM vai entrar na Justiça

Corpo de Vânia Silva Tibúrcio Lopes foi sepultado nesta quarta no Cemitério Nossa Senhora das Graças

Família de mulher morta durante blitz da PM vai entrar na Justiça
Notícias ao Minuto Brasil

20:56 - 22/08/18 por Notícias Ao Minuto

Justiça Baixada Fluminense

A família da costureira que morreu após ser baleada por um policial militar durante uma abordagem policial em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, vai entrar na Justiça contra o estado do Rio. Nesta quarta-feira (23), o corpo de Vânia Silva Tibúrcio Lopes foi sepultado no Cemitério Nossa Senhora das Graças.

"Vou cuidar dos meus sobrinhos como se fossem meus filhos. O policial que fez o disparo, a gente perdoa ele. A gente sabe que a profissão dele é uma profissão arriscada. Mas o ato que ele fez, isso ninguém aceita", afirma o irmão da vítima, Paulo César Tibúrcio.

De acordo com o jornal 'O Extra', Vânia era casada e deixou dois filhos, um de 8 anos e outro de 10.

+ Homem acusado de jogar mulher do 3º andar em Brasília é denunciado

"O policial é despreparado. Sem necessidade, deu dois tiros e acabou matando minha cunhada. Vamos correr atrás dos nossos direitos. A família vai entrar na Justiça contra o estado", afirmou o cunhado de Vânia.

Vânia foi baleada na noite da última segunda-feira quando o Volkswagen Up em que ela e o marido estavam foi parado em uma blitz e um dos policiais atirou contra o veículo alegando que o carro tentou furar o bloqueio, o que é contestado pelo marido da costureira, Carlos Alberto Lopes Júnior.

Segundo a PMERJ, "o motorista desembarcou com o veículo ligado e engrenado. O carro, em movimento, quase atropelou um dos policiais, induzindo a guarnição a achar que se tratava de uma tentativa de fuga ao bloqueio por supostos outros ocupantes. Foi quando houve o disparo". 

Campo obrigatório