Meteorologia

  • 24 AGOSTO 2019
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Aluno da USP é um dos presos em megaoperação contra pedofilia

O jovem, que não teve a identidade divulgada, foi retirado de uma das salas da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) sob um forte esquema de segurança, na manhã desta quinta

Aluno da USP é um dos presos em megaoperação contra pedofilia
Notícias ao Minuto Brasil

19:29 - 28/03/19 por Folhapress

Justiça 63 detidos

SÃO PAULO, SP, E BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Um dos 63 detidos no estado de São Paulo na megaoperação contra pedofilia desta quinta-feira (28) foi um estudante da USP (Universidade de São Paulo).

O jovem, que não teve a identidade divulgada, foi retirado de uma das salas da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) sob um forte esquema de segurança, na manhã desta quinta.

Segundo a assessoria de imprensa da USP, "policiais civis uniformizados e fortemente armados entraram em salas de aula para buscar um aluno acusado de crime potencialmente grave que choca a comunidade", informou a universidade por meio de nota.

+ Homem suspeito de matar namorada de 16 anos grávida é morto no Rio

A USP questionou a forma como a prisão ocorreu. "Chocou-nos a desproporcionalidade entre os fins e os meios do procedimento policial". De acordo com a universidade, a chegada dos policiais interrompeu as aulas. "Para quê mobilizar duas dezenas de policiais uniformizados e com uso de metralhadoras para prender o acusado nos prédios da USP?".

"Não vamos aceitar calados que a imagem da FFLCH-USP e a autonomia desta instituição sejam violados por ações injustificáveis. O mais do que necessário combate à criminalidade não pode justificar a agressão às instituições universitárias", disse a universidade.

Procurada para comentar sobre a forma como foi feita a prisão do estudante, a Secretaria de Segurança Pública não respondeu.

A operação nesta quinta foi coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública e prendeu ao menos 119 suspeitos em flagrante nos 26 estados e no Distrito Federal, além de ter cumprido ao menos 266 mandados de busca e apreensão de conteúdos digitais ilícitos.

Cerca de 1.500 policiais cumpriram os mandados autorizados pela Justiça. A ação integra a 4ª fase da operação "Luz na Infância". Nas três primeiras etapas, 405 pessoas foram detidas.

"A gente manda um recado claro: esse tipo de crime não pode ser tolerado", disse o ministro da Justiça, Sergio Moro. "Esse tipo de crime merece o repúdio e a atenção específica das autoridades policiais e do ministério da Justiça e Segurança Pública", acrescentou o ministro.

Campo obrigatório