Brasileira sobrevive a incêndio em Portugal e se torna voluntária

Abalada, Dayane Braga desabafa: 'não tem como estar em casa, de braços cruzados, não consigo estar parada e ver tanta gente precisando'

© Rafael Marchante / Reuters
Mundo solidariedade 05:52 - 20/06/17 POR Notícias Ao Minuto

A brasileira Dayane Braga, de 32 anos, foi surpreendida pelo incêndio que atingiu a região central de Portugal quanto curtia a tarde quente do último sábado (17) em uma praia fluvial na região. Abalada e vendo os seus vizinhos desaparecidos, a estudante de direito decidiu se juntar à brigada de voluntários que auxilia os desabrigados e as populações afetadas pelo incêndio.

PUB

"Eu peguei o início do fogo. Como estava em um vale, aqui a gente já sabe que, em caso de fogo, temos de começar a fugir", explicou Dayane. "Saímos de lá às pressas e, meia hora depois, já estava tudo queimado, até com carros carbonizados", completou.

A estudante é de Itabuna, na Bahia, e mora em Portugal há 14 anos, segundo a Folha de S. Paulo.

A estudante conta que a fuga foi assustadora. "Quando começou o fogo, teve também raios e trovoadas. Foi assustador", revelou. Dayane disse também que não conhece nenhuma das vítimas, mas que alguns dos seus vizinhos ainda estão desaparecidos

"Não tem como estar em casa, de braços cruzados, não consigo estar parada e ver tanta gente precisando", disse a estudante enquanto descarregava água e mantimentos para as vítimas na manhã desta segunda-feira (19).

Os focos de incêndio na região seguem ativos. 63 mortos e 135 feridos, sendo sete em estado grave, já foram confirmados. 24 corpos foram identificados.

Leia também: Após incêndio, "estrada da morte" em Portugal recebe curiosos

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS

X