Meteorologia

  • 20 SETEMBRO 2018
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 15º

Edição

Derrotado pede recontagem de votos no Paraguai

Efraín Alegre teve 42,74% dos votos

Derrotado pede recontagem de votos no Paraguai
Notícias ao Minuto Brasil

22:03 - 24/04/18 por Folhapress

Mundo Efraín Alegre

Efraín Alegre, candidato que perdeu as eleições presidenciais do domingo no Paraguai, afirmou nesta terça-feira (24) ter evidências de votação fraudulenta e pediu uma recontagem dos votos. Ele, porém, não apresentou as provas citadas.

Segundo Alegre, que concorreu pela Aliança Ganhar (centro), o Tribunal Superior da Justiça Eleitoral (TSJE) pronunciou muito rapidamente a vitória de Mario Abdo, do conservador Partido Colorado.

Leia também: STF tira de Moro trechos de delação da Odebrecht sobre Lula

"Já temos exemplos claros de fraude que vamos denunciar caso a caso", disse. "Vamos participar da recontagem."

Com 97,67% dos votos apurados no domingo, o tribunal disse que Abdo obteve 46,44% e Alegre, 42,74%. A previsão é que Abdo tome posse em agosto para um mandato de cinco anos.

Os resultados foram divulgados com base no sistema de contagem rápida –Transmissão de Resultados Eleitorais Preliminares, conhecido pela sigla TREP.

"No domingo dissemos que o TREP é um resultado preliminar. As atas é que têm realmente a validez para ser parte fundamental do processo eleitoral", afirmou Alegre.

O candidato liberal aceitou na noite do domingo os resultados da contagem rápida, mas não reconheceu a derrota devido à margem apertada entre os dois candidatos.

Afirmou que esperaria o julgamento oficial das atas pelos juízes, que começou nesta terça. As atas dão o resultado de contagem manual em cada mesa eleitoral.

Observadores internacionais que monitoraram a eleição de domingo (22) não apontaram graves problemas.

Luis Salas, diretor de Recursos Eleitorais do tribunal, negou haver fraude na contagem dos votos e disse que o exame das atas continuará normalmente segundo o calendário eleitoral. Não ficou claro se esta é a posição prevalente.

"Não existe fraude, e que eles demonstrem [se houver]. Estou seguro de que não existe, houve um controle eficiente. Não queremos que a democracia seja manchada pelas suspeitas", disse.

Apoiadores de Alegre e de setores da oposição começaram a se posicionar diante de TSEJ, em Assunção. A polícia enviou reforços para o local.

Fernando Lugo, presidente do Congresso paraguaio e cuja Frente Guasú fez parte da Aliança Ganhar de Alegre, pediu que o TSJE suspenda imediatamente o exame das atas.

"Pedimos que o controle seja feito de forma lenta, se não têm nada a esconder. Pedimos que se suspenda o julgamento das atas. Pedimos que os resultados sejam com o povo elegeu. Prometeram que a contagem seria interrompida", disse Lugo, que foi presidente entre 2008 e 2012.

Segungo Lugo, o presidente do TSJE, Jaime Bestard, afirmou que conversaria com outros ministros do tribunal para decidir sobre o pedido.

A rádios locais, porém, Bestard afirmou que o julgamento das atas continua normalmente e que o tribunal "trabalha de maneira transparente". Com informações da Folhapress.

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório